Fundos de inflação: vale a pena investir?

Os fundos de inflação podem ser uma boa estratégia de diversificação da carteira. Além de proporcionarem bons rendimentos, preservam o patrimônio dos efeitos inflacionários, que provocam a desvalorização dos ativos.

A seguir, conheça melhor esses fundos e saiba qual o melhor momento para investir neles.

O que são fundos de inflação?

Também chamados fundos IMA-B, os fundos de inflação pertencem à categoria de renda fixa e possuem como benchmark índices de inflação, como o IPCA e o IGPM.

Saiba mais sobre fundos de renda fixa neste artigo.

O IMA-B é uma subcategoria do Índice de Mercado ANBIMA (IMA), entidade que representa instituições do mercado financeiro e de capitais brasileiros. Esse índice mostra a variação do Tesouro IPCA+, título híbrido referenciado no índice de mesmo nome.

Estratégias dos fundos IMA-B

Os fundos de inflação são mais arrojados do que outros fundos de renda fixa, como os fundos DI, por exemplo. Em relação ao prazo dos títulos que compõem os fundos IMA-B, as estratégias são as seguintes:

IMA-B 5: formado por títulos públicos com vencimento inferior a cinco anos.

IMA-B +5: formado por títulos públicos com vencimento superior a cinco anos.

IMA-B: nesse caso, não existem restrições quanto ao prazo dos títulos que compõem a carteira do fundo.

Quanto mais longo for o prazo do fundo de inflação, maior tende a ser a volatilidade desses fundos. Logo, os ganhos também tendem a ser mais expressivos.

E quando vale a pena investir em fundos de inflação?

O melhor momento para investir nesses fundos é quando a Selic está em queda. Os juros baixos fazem com que o valor dos títulos atrelados à inflação suba, o que proporciona maior rentabilidade para esse investimento.

Vantagens e desvantagens dos fundos IMA-B

Uma das vantagens desses investimentos é a liquidez, pois há possibilidade de resgate em poucos dias. Além disso, os fundos de inflação proporcionam rentabilidade acima da média com a marcação a mercado.

A marcação a mercado é um mecanismo que atualiza os preços das cotas dos fundos de investimento e títulos de renda fixa. Neste artigo, entenda como funciona.

Por fim, alguns possuem taxas de administração inferiores se comparadas a outros fundos de renda fixa.

Por sua vez, esses fundos são sujeitos ao come-cotas, forma de tributação na qual há cobrança de imposto de renda mesmo antes do resgate. Outra desvantagem pode ser a volatilidade para alguns investidores, pois nem todos possuem a mesma tolerância ao risco.

Ainda, é possível encontrar no mercado opções semelhantes aos fundos IMA-B isentas de taxas de administração e que proporcionam os mesmos benefícios. Por último, a marcação a mercado pode vir a prejudicar a rentabilidade do investimento, caso o gestor não seja assertivo em relação às suas projeções.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo