Tesouro IPCA: o que é e como investir?

O Tesouro IPCA é um investimento em renda fixa de baixo risco emitido pelo Tesouro Nacional com rendimentos indexados à inflação. É ideal para o investidor que quer proteger a aplicação das possíveis perdas causadas pelo cenário inflacionário do período do investimento.

Apesar de não contar com o Fundo Garantidor de Créditos (FGC), o Tesouro IPCA é considerado de baixíssimo risco. Isso porque são papéis da dívida pública emitidos pela instituição mais segura do país, o Tesouro Nacional. O governo por sua vez, usa essa verba para financiar os projetos de infraestrutura, educação e saúde.

Criado em 2002, a fim de promover educação financeira de maneira mais acessível, o Tesouro Direto conta com três possibilidades de investimento. Além do Tesouro IPCA, existem o Tesouro Prefixado e o Tesouro Selic que são atrelados a um valor fixo e à taxa Selic, respectivamente.

Como próprio nome diz, o Tesouro IPCA tem seus rendimentos associados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) que é o principal medidor da alta de preços do Brasil. Ao ser atrelado a esse índice, os ganhos são projetados de forma proporcional com a inflação do período – evitando desvalorização do dinheiro caso haja aumento na média dos preços do país. Além disso, os ganhos possuem uma taxa fixa – tornando-o um tipo híbrido para rendimentos.

Quais os tipos de Tesouro IPCA?

Existem duas categorias e elas se diferenciam a respeito da frequência que os rendimentos e tarifas são pagos:

1 - Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) – os pagamentos de rendimentos e taxas acontecem somente no final do vencimento. Costumam ser rentáveis, porém exigem mais tempo para liquidez. Ou seja, ele é ideal para investimentos longos, pois a matemática dos juros compostos não é interrompida por pagamentos semestrais.

2- Tesouro IPCA+ com juros semestrais (NTN-B) – os juros são pagos de forma antecipada e semestralmente. Nessa mesma frequência, são cobrados os impostos. Por conta das retiradas e cobranças, os rendimentos podem ser menores. Além disso, os ganhos finais são prejudicados pelas retiradas semestrais, uma vez que os juros compostos são interrompidos por conta dos pagamentos adiantados.

Quais as taxas do Tesouro IPCA?

Todos os investimentos em renda fixa realizados pelo Tesouro Direto têm a cobrança automática de Imposto de Renda em cima dos rendimentos. Ainda assim, para estimular aplicações de recursos em maior prazo, a alíquota cobrada é regressiva – ou seja, quanto maior tempo, menor o percentual cobrado que pode variar de 22,5% (até 180 dias) para 15% (acima de 720 dias).

As cobranças acontecem automaticamente e algumas corretoras também exigem o pagamento de taxas de administração. Para investimentos maiores de R$ 10 mil, existe a taxa de custódia da B3 que recentemente, agosto de 2020, foi zerada para aplicações menores que esse valor.

Como investir no Tesouro IPCA?

Os títulos de Tesouro IPCA podem ser negociados nas corretoras. Além disso, o próprio site do Tesouro Direto possui uma plataforma para simulações de rendimentos que pode auxiliar na busca do título mais adequado para sua carteira.

Por terem os maiores prazos de vencimento, os títulos do Tesouro IPCA são indicados para investidores que buscam rendimentos a longo prazo para projetos pessoais como aposentadoria ou compra da casa própria.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo