Inflação e taxa Selic: qual é a relação na economia?

Mesmo que você não acompanhe notícias sobre economia, certamente já ouviu falar muito sobre inflação e taxa Selic. Atualmente, com a taxa básica de juros no menor patamar da história, esse assunto ganhou ainda mais destaque no meio financeiro.

O que muita gente não sabe é que Selic e inflação têm uma relação muito estreita, e ambas influenciam a economia do Brasil. Neste artigo, entenda como isso acontece.

Em primeiro lugar, o que é a taxa Selic?

Aqui no blog, já falamos algumas vezes sobre a Selic, que é a taxa básica de juros do país. Essa taxa serve de parâmetro para todas as taxas de juros praticadas no Brasil, desde empréstimos bancários até a remuneração das aplicações.

A cada 45 dias, o Comitê de Política Monetária (COPOM) se reúne para definir se a Selic será mantida ou modificada. O principal objetivo dessa taxa é evitar o descontrole de preços, que causa a inflação e pode desestabilizar a economia.

Veja neste artigo quais os impactos da inflação na economia.

Qual a relação entre a Selic e a inflação?

A inflação é algo presente em quase todas as economias mundiais. No entanto, os problemas começam a surgir no momento em que os preços fogem do controle. Isso aconteceu no Brasil entre as décadas de 1980 e 1990, quando ocorreu a hiperinflação. Para se ter uma ideia, em março de 1990, no ápice desse fenômeno, o índice de inflação chegou a 80%. Somente em 1994, com o Plano Real, os preços voltaram ao controle e a hiperinflação chegou ao fim.

Uma das causas da inflação é o aumento exagerado da demanda por consumo. Quando os consumidores vão às compras com mais intensidade do que o mercado está preparado para atender, os preços começam a subir. É a famosa lei da oferta e da procura: quanto maior a procura por determinados itens, mais caro ele se tornará com o decorrer do tempo.

Quanto mais barato estiver o crédito, a tendência é de que mais a população se endivide para consumir. E isso gera a tão temida inflação.

Nessas horas, para tentar conter a disparada dos preços, o governo aumenta a taxa Selic. Isso faz com que o crédito e os preços dos produtos fiquem mais caros para o consumidor, o que desestimula as vendas.

O contrário também acontece. Em crises financeiras, por exemplo, quando há desemprego e uma grande preocupação com as finanças, a tendência é de que as pessoas fiquem com receio de gastar e guardem o dinheiro. Nesses momentos, para movimentar a atividade econômica, o governo promove redução dos juros, para que as empresas não tenham que parar de produzir pela falta de consumo.

Conclusão

A quantidade de dinheiro que circula na economia é uma das principais causas da inflação. E essa quantidade pode ser regulada por meio da taxa de juros. Quanto maior ela for, mais caro será para o dinheiro continuar girando. Basicamente, é dessa forma que a Selic funciona como um importante regulador da inflação no país.

Deu para entender a influência da Selic na inflação? Gostaria de saber mais sobre o assunto? Deixe aqui os seus comentários!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo