5 dicas para diversificar investimentos

Não é nenhuma novidade a importância de diversificar os investimentos. Afinal, quando o seu patrimônio está bem distribuído, aumentam as chances de rentabilidade com menores riscos, certo?

Mas como diversificar corretamente os investimentos?

Partindo do princípio de que você já tenha a sua reserva de emergência e, também, já conheça o seu perfil de investidor, preparamos 5 dicas para lhe ajudar escolher os seus investimentos.

Confira a seguir!

1 - Estabeleça objetivos e prazos

Antes de mais nada, você deve ter objetivos claros para o seu dinheiro. Digamos que a sua ideia é investir parte de seus recursos para fazer uma viagem ao exterior daqui a dois anos. Dessa forma, o ideal é que escolha aplicações ligadas a moedas estrangeiras, como fundos cambiais, por exemplo.

Porém, se o seu objetivo é a faculdade dos filhos, ou o negócio que deseja abrir daqui há alguns anos, seria interessante pensar em investimentos rentáveis no longo prazo. Nesse sentido, ações e alguns fundos multimercados podem ser boas opções.

2 - Escolha as modalidades em cada grupo de investimento

Quando falamos em grupo de investimento, estamos nos referindo a modalidades de renda fixa e variável. Isso porque qualquer estratégia de diversificação contempla investimentos dessas duas categorias.

Entretanto, a quantidade de ativos de cada uma delas dependerá do seu perfil de investidor. Como já vimos em outros posts, perfis mais conservadores tendem a preferir a renda fixa. Já os mais arrojados preferem correr os riscos da renda variável para tentarem maiores ganhos.

3 - Tome cuidado para não pulverizar os seus recursos

Diversificar significa distribuir os investimentos de forma inteligente. Porém, existe um limite para essa distribuição.

Isso significa que, ao dividir demais o seu dinheiro, você não está diversificando, e sim pulverizando seus investimentos. Ou seja, os seus recursos estarão tão repartidos que você correrá o risco de pulverizar também o lucro dessas aplicações.

4 - Tenha conta em mais de uma instituição financeira

Atualmente, é muito fácil e rápido abrir uma conta para investir. Até porque, nos últimos anos, os bancos perderam o monopólio desses serviços, em virtude do crescimento das corretoras.

Além disso, nas corretoras, os clientes têm muito mais autonomia e acesso a uma diversidade de opções que não eram oferecidas pelos grandes bancos. E, também, contam com apoio especializado para análise e acompanhamento das carteiras de investimentos.

5 - Faça o rebalanceamento da carteira

Por fim, é importante saber que, para manter uma boa diversificação, é necessário revisar constantemente o portfólio. Isso porque, por mais equilibrados que estejam os investimentos, não há como prever a evolução das taxas de juros, nem os movimentos do mercado financeiro.

Nesse sentido, é muito importante que, de tempos em tempos, se faça o rebalanceamento da carteira.

No rebalanceamento, o investidor vende os ativos que já renderam o esperado e compra aqueles que perderam valor. Dessa forma, ele consegue sair de posições antes que elas caiam, e, ao mesmo tempo, adquire ativos com potencial de valorização.

Ou seja, trata-se de vender na alta e comprar na baixa. Basicamente isso é rebalancear a carteira de investimentos.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo