Benchmark: o que é e como funciona?

Digamos que você tenha feito um investimento e, um ano depois, percebeu que o seu dinheiro rendeu 10%. Será que essa informação é suficiente para saber se a aplicação foi um bom negócio?

Se você respondeu não, acertou! Isso porque a rentabilidade de um investimento deve ser sempre avaliada de forma relativa. Ou seja, deve sempre haver uma métrica, um indicador econômico com o qual se possa comparar o rendimento da aplicação. Esse indicador é o benchmark.

No mercado financeiro, existem diferentes benchmarks. Isso significa que os rendimentos dos investimentos podem estar atrelados a diferentes indicadores.

Vejamos alguns dos mais conhecidos:

CDI

O CDI ou taxa DI é a taxa de juros das operações de crédito entre instituições financeiras. Ela acompanha o movimento da Selic, que é a taxa básica de juros do governo.

Por esse motivo, pode-se dizer que o CDI é equivalente à taxa livre de risco da economia. Ou seja, esse benchmark é a mínima remuneração que se pode obter praticamente sem riscos.

O CDI é utilizado nas aplicações de renda fixa. Alguns exemplos são os CDBs, os títulos do tesouro e as LFTs.

Porém, algumas aplicações de renda variável também utilizam o CDI como benchmark. Nesses casos, o objetivo, normalmente, é superar o índice, como em alguns fundos de investimento.

Inflação

A inflação é a alta generalizada de preços, que ocorre em um determinado período.

Quanto um investimento tem a inflação como benchmark, significa que o dinheiro estará, no mínimo, protegido da perda de valor no tempo. Nesse sentido, há investimentos que oferece somente acompanhar a inflação. Outros, se propõem a superá-la.

Existem vários índices de inflação que podem ser utilizados como benchmarks. Os mais os mais comuns são o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Ibovespa

Também conhecido como pontos Ibovespa, esse é o principal índice da bolsa de valores brasileira. Isso porque ele representa o desempenho médio das ações mais negociadas na bolsa nos últimos meses.

Para escolher as ações que farão parte do Ibovespa, deve-se analisar alguns critérios como a liquidez e o volume negociado. Periodicamente, a Bolsa faz uma revisão desses títulos, para checar a sua representatividade no índice. Nesse sentido, tanto o número quanto os papéis que compõem a carteira podem variar.

Ou seja, o Ibovespa mede o desempenho do mercado acionário brasileiro. Por isso, ele é o benchmark de todos os investimentos ligados a ações.

Ptax

A Ptax é o benchmark que representa a variação do dólar frente ao real. Nesse sentido, ela é ela é utilizada como referência para os investimentos lastreados em moeda estrangeira, como os fundos cambiais.

A Ptax é calculada pelo Banco Central, e tem como base a cotação do dólar à vista que foi negociado ao longo do dia. Para isso, são feitas quatro medições dos valores do dólar em diferentes horários. Os valores obtidos nessas verificações formarão à média da taxa de câmbio praticada no dia.

Deu para entender o que é e para que serve o benchmark?


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo