6 dicas para analisar um fundo de investimento

Se você deseja diversificar suas aplicações, mas não tem muito capital, ou ainda não conhece bem o mundo dos investimentos, então os fundos podem ser uma excelente alternativa.

Entretanto, o primeiro passo é escolher a opção mais adequada. Mas como fazer isso? O que analisar para fazer a escolha certa?

Pensando nisso, elaboramos 6 dicas para ajudá-lo:

Conheça o seu perfil de investidor

O primeiro passo é determinar o seu perfil de investidor. Isso significa avaliar qual o risco que você está disposto a assumir para obter os ganhos que deseja.

Nesse sentido, perfis mais conservadores tendem a buscar investimentos mais previsíveis. Logo, um fundo de renda fixa atrelado ao CDI, por exemplo, pode ser adequado a esse investidor.

Por outro lado, os mais arrojados não se importam em assumir mais riscos em troca de maiores rentabilidades. Nessas situações, fundos de ações, cambiais ou multimercados podem atender às expectativas.

Tenha claro o seu objetivo e prazo

Antes de investir em um fundo, deve-se saber o que se deseja fazer com o dinheiro, e em qual prazo. Isso porque alguns deles, principalmente os de renda variável, podem apresentar diversas oscilações no decorrer do período da aplicação. Nesses casos, o ideal é considerá-los uma opção de longo prazo, para evitar que ocorram resgates em momentos de baixa do mercado.

Outro fator importante é a política de resgate, ou liquidez do fundo. Nesse sentido, existem fundos que são D+0, ou seja, permitem receber o dinheiro no dia do pedido do resgate.

Em contrapartida, outros podem demorar vários dias até que os recursos fiquem disponíveis na conta. Por isso, é importante que o investidor avalie quanto tempo conseguirá ficar sem o dinheiro antes de investir em um fundo. 

Avalie a expertise do gestor

O gestor é quem seleciona os ativos que farão parte da carteira do fundo. Além disso, também é responsável por acompanhar o desempenho desses ativos, para que possa assegurar aos cotistas os resultados esperados.

Logo, o papel do gestor é procurar rentabilizar ao máximo o patrimônio dos cotistas, e com o menor risco possível. Por isso, conhecer o histórico da gestão é muito importante para uma escolha adequada.

Saiba quais ativos formam a carteira do fundo

Primeiramente, o investidor deve buscar informações sobre quanto o gestor pode investir em ações, moeda estrangeira, derivativos, e outras categorias de ativos. Nesse sentido, o regulamento do fundo contém todas as informações necessárias.

Conhecer os ativos do fundo significa saber exatamente onde se está aplicando o dinheiro. Dessa forma, consegue-se evitar surpresas desagradáveis.

Verifique o histórico de rentabilidade do fundo e compare-o a outros fundos

Embora a rentabilidade passada não garanta lucros futuros, é importante analisar os rendimentos do fundo no decorrer do tempo.

Além disso, deve-se compará-lo a outros fundos semelhantes, para que se tenha noção sobre a assertividade das estratégias do gestor.

Analise as taxas

As taxas dos fundos servem para remunerar o trabalho dos profissionais que farão a gestão do dinheiro do investidor. Nesse sentido, é muito importante acompanhar esses custos, pois taxas muito elevadas podem comprometer a rentabilidade de bons investimentos.

Conclusão

Existem diversos outros pontos importantes para a análise dos fundos de investimentos. Porém, nosso objetivo aqui foi guiá-lo nas primeiras dicas.

Se você gostou do material, ou se tem alguma dúvida ou pergunta, acesse o nosso material sobre fundos.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo