O que são fundos de renda fixa e como investir?

Fundos de Renda Fixa são um “serviço” que reúne diversos ativos majoritariamente em renda fixa sendo eles títulos públicos, CDBs, LCI, LCA e debêntures. Em termos gerais, esse fundo possui, no mínimo, 80% do dinheiro aplicado em títulos vinculados a variação da taxa de juros - ou seja, títulos de renda fixa.

A administração do fundo é feita por um gestor especializado que trabalha para manter os rendimentos positivos, aplicando o dinheiro para ter os melhores resultados para o grupo que detém as cotas de investimento.

Como funcionam os fundos de renda fixa?

Os fundos de investimento funcionam por meio da venda de cotas de um conjunto de ativos financeiros que é controlado por um gestor, que vai tem a função de trazer a maior rentabilidade para os cotistas.

Para isso, os fundos possuem políticas que definem detalhadamente os tipos de ativos que podem atuar e mensalmente são publicados relatórios de desempenho para que os investidores acompanhem os resultados.

Quais tipos de fundos de renda fixa?

Os fundos de renda fixa podem ganhar diferentes nomes que variam de acordo com o foco de investimento que a carteira possui:

  • Simples: recomendável para iniciantes e pequenos investidores, pois possui baixo risco, uma vez que ele aplica 95% em títulos públicos.
  • Curto prazo: especializados em investimentos com prazos menores que não ultrapassam 375 dias.
  • Longo prazo: ao contrário do anterior, o vencimento desse tipo ultrapassa os 365 dias.
  • Referenciado: a vantagem aqui é que o rendimento de maior parte da carteira (95%) está atrelado a um índice econômico (CDI ou IPCA, por exemplo) e em títulos públicos.
  • Dívida externa: pelo menos 80% deve ser investido em títulos da dívida externa brasileira.
  • Crédito privado: possuem maior risco pois o mínimo exigido em renda fixa é de 50%.

As principais vantagens dos fundos de renda fixa são a praticidade de ter seu dinheiro aplicado em um conjunto diversificado de títulos e ainda possuir um gestor que esteja cuidando para que sua rentabilidade seja positiva.

Em contrapartida, esse serviço de administração é pago e as instituições têm preços diferentes. A cobrança é anual e em alguns casos existe a taxa de performance que é quando a rentabilidade ultrapassa a meta estipulada – chamada benchmark.

Além dessas cobranças, há também a tributação do Imposto de Renda que é cobrada de forma regressiva em cima do rendimento. Ou seja, quanto maior o tempo de investimento, menor será a alíquota. Há também a cobrança de IOF (Imposto de Operações Financeiras) que incide sobre as taxas de cotas no primeiro mês da aplicação.

Como investir em fundos de Renda Fixa?

Depois de definir seus objetivos, procure instituições que ofereçam esse tipo de investimento, que podem ser bancos ou corretoras, sendo que essas últimas costumam ter condições mais vantajosas (fuja das taxas abusivas!).

Como são muito populares entre os fundos de investimento, existem muitas opções no mercado. É importante analisar antes a política de aplicação da carteira, liquidez e tempo de vencimento, histórico de performance e outros fatores que devem estar de acordo com as metas que você estipulou para sua carteira.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo