Tipos de FIIs: qual é o melhor fundo imobiliário para você?

Quando o assunto são fundos imobiliários (FIIs), o universo de opções é muito grande. Esses ativos são uma excelente alternativa para quem deseja investir no mercado imobiliário sem precisar comprar um imóvel. Além disso, os FIIs continuam sendo boas opções para quem busca rentabilidade acima da renda fixa.

E qual é o melhor tipo de fundo imobiliário (FII)?

Mas como escolher entre tantos FIIs disponíveis no mercado? Nesse artigo, conheceremos quatro dos principais tipos de fundos imobiliários. Continue a leitura, e descubra qual o melhor para você!

Fundos de tijolo

O primeiro tipo de FII que veremos são os fundos de tijolo. Como o nome indica, esses fundos imobiliários têm a maior parte do seu patrimônio alocada em imóveis físicos já construídos. Esses imóveis podem ser de segmentos diversos, como shoppings, lajes corporativas, hospitais, galpões logísticos, escolas, bancos, e, até mesmo, residenciais.

Normalmente, cada FII tem foco em um segmento específico, e podem tanto ter vários imóveis quanto apenas um empreendimento. Além disso, esses fundos podem ter diversos, poucos ou somente um inquilino. De forma geral, quanto menor for o número de inquilinos, mais customizados tendem a ser os contratos de locação dos imóveis.

Esses contratos de locação customizados também são conhecidos como atípicos. Clique aqui e entenda a importância de conhecer os contratos atípicos para investir em FIIs.

Fundos de desenvolvimento

Já os FIIs de desenvolvimento são mais indicados para quem busca a valorização das cotas no longo prazo. Isso porque eles, literalmente, partem do zero, ou seja, passam por todos os estágios do empreendimento, que inicia com a compra do terreno.

Devido à fase inicial do empreendimento, esses FIIs possuem mais risco do que os de tijolo. Além disso, demoram mais a pagar dividendos, pois só o fazem após a conclusão das obras e locação dos imóveis. No entanto, desde que tudo corra bem com o empreendimento, as suas cotas possuem alto potencial de valorização.

Fundos de papel

Os FIIs de papel são aqueles que não possuem imóveis físicos no patrimônio. Em vez disso, investem, prioritariamente, em títulos que representam operações do mercado imobiliário.

Nesse sentido, os mais utilizados são os certificados de recebíveis imobiliários (CRIs), emitidos por companhias securitizadoras e que representam créditos a receber de empreendimentos imobiliários. Também podem fazer parte dos FIIs de papel as letras de crédito imobiliário (LCIs) e letras hipotecárias (LHs)

Entre todos os FIIs do mercado, os de papel foram os que tiveram o melhor desempenho em 2020. Clique aqui e saiba mais sobre o assunto.

Fundos de fundos

Por fim, temos os FIIs de fundos, que possuem em seu patrimônio cotas de diversos outros FIIs. Eles são uma espécie de “espelho” dos fundos que representam, pois proporcionam ao investidor todos os rendimentos dos FIIs que lhe deram origem.

Uma das vantagens dessa modalidade é a diversificação que o investidor consegue ter ao adquirir suas cotas, já que elas representam cotas de vários outros FIIs.

Esses são alguns dos diferentes tipos de FIIs disponíveis no mercado. Se você quer saber mais sobre fundos imobiliários, dê uma olhada nos artigos abaixo, ou mande suas dúvidas e comentários!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo