4 erros comuns ao investir em fundos imobiliários

Os fundos imobiliários são um tipo de investimento coletivo onde os investidores possuem cotas de um patrimônio. Esse montante pode ser aplicado em imóveis físicos ou ativos do setor imobiliário - chamados fundos de tijolo e de papel, respectivamente.

O grande atrativo é que eles rendem mensalmente e são isentos de imposto de renda. No entanto, nem todo FII é um bom fundo. É preciso muito cuidado na hora de escolher qual o melhor para sua carteira de investimentos. Listamos aqui alguns erros comuns e como evitá-los:

1. Comprar sem conhecer

O primeiro erro que o investidor pode cometer é comprar uma cota de um fundo que ele não estudou a fundo.

Aliás, esse é um equívoco que deve ser evitado em qualquer situação. Isso porque os investimentos são muito diversos e as características deles podem ser boas para uma pessoa e ruins para outra.

Para evitar esse erro, o investidor deve analisar todos os parâmetros desse ativo e compará-lo com outros.

Uma ferramenta fundamental é a leitura das cartas dos gestores. Esse documento possui todas as informações sobre o fundo e detalhes como portfólio, preço sobre patrimônio e outros dados que fazem toda diferença na hora de escolher o melhor para você.

2. Analisar olhando somente um indicador

Geralmente, as pessoas são muito preocupadas com rentabilidade e esquecem outras características. Na verdade, todos os indicadores são relevantes, mas devem ser analisados de forma conjunta e não isoladamente.

Essa estratégia deve ser levada em consideração ainda mais em se tratando de um ativo de renda variável.

Nosso buscador de investimentos, o Yubb (clique aqui), é uma plataforma 100% gratuita e que pode ajudar muito no momento em que você for analisar o seu fundo.

Ao clicar nos detalhes dos FIIs, você tem acesso a informações muito importantes que vão ajudar você a tomar as melhores decisões.

Os principais indicadores financeiros dos FIIs que você pode checar no Yubb: Patrimônio, preço da cota, número de cotas, dividend yield, dividendos pagos no último ano, valor patrimonial da cota, rendimento médio mensal nos últimos dois anos, taxa de administração.

3. Confundir renda fixa com variável

Como adiantamos, os fundos imobiliários não são ativos de renda fixa. Ou seja, eles não possuem nenhuma garantia quanto ao seu valor de mercado. 

Ainda que o cenário seja positivo e tudo indique que haverá valorização, nunca será certo que isso vai acontecer.

Por isso, não basta olhar os gráficos sobre a rentabilidade histórica, sendo que isso não significa que o ritmo de crescimento vai continuar ocorrendo. 

Se você busca por investimentos com menor risco e rentabilidade prefixada, procure outros tipos de papéis para sua carteira.

4. Adquirir fundos que não são diversificados

Não ponha todos os ovos numa só cesta. Esse é o ditado do mercado financeiro que explica a importância da diversificação.

Nos fundos imobiliários, existem alguns que possuem carteiras de imóveis em somente um setor econômico.

Ou seja, se determinado segmento estagnar, provavelmente esse fundo também estará estável nos resultados.

Para evitar esse problema, consulte sempre o portfólio do fundo. Analise se ele possui uma carteira diversificada de imóveis, papéis e inquilinos. Além disso, note sobre a distribuição geográfica desses imóveis.

Isso porque é muito importante ter ativos espalhados em diferentes localidades. Com isso, você evita que problemas individuais de um município ou região atinjam os rendimentos de toda a sua carteira.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo