Quem é John Bogle?

Criador do primeiro fundo de índice (ETF) do mercado financeiro, John Bogle foi um dos maiores investidores norte-americanos de todos os tempos.

A sua história no mundo dos investimentos fez com que a Fortune o considerasse um dos quatro “gigantes dos investimentos”, ao lado de George Soros, Warren Buffett e Peter Lynch.

Bogle fundou o Vanguard Group em 1975, tendo logo depois lançado o seu primeiro fundo de índice. Faleceu em janeiro de 2019, deixando um patrimônio de US$ 180 milhões.

A seguir, saiba mais sobre a origem e principais pensamentos do megainvestidor.

Origem de John Bogle

John Clifton Bogle nasceu em 1929, ano do início da Grande Depressão, em Nova Jersey, nos Estados Unidos. Assim como a grande maioria da população na época, a sua família também sofreu os efeitos da crise financeira, o que fez com que seus pais precisassem vender a casa onde moravam.

Bogle demonstrou aptidão para números desde cedo. Isso lhe abriu portas na universidade de Princeton, onde estudou economia e investimentos. O foco de suas pesquisas eram fundos mútuos (semelhantes a fundos multimercados). Formou-se na universidade em 1951 e logo foi trabalhar no Wellington Fund, onde chegou a substituir Walter Morgan na presidência.

A trajetória no Wellington Fund não terminou bem. John Bogle cometeu erros que quase levaram à destruição do fundo em 1970. Na ocasião, foi demitido e disse ter aprendido muito com os erros. Tal aprendizado deu origem, um ano depois, aos fundamentos para a criação do Vanguard Group.

Principais pensamentos do investidor

Bogle tinha como principal objetivo diminuir os custos dos investimentos, para que mais pessoas pudessem ter acesso ao mercado financeiro. Por isso, ele preferia fundos passivos a fundos passivos, que tinham despesas mais altas.

Outro ponto inovador e que lhe gerou diversas críticas era afirmar que os investidores não deveriam perder tempo tentando superar o mercado. Na sua opinião, fundos passivos garantem maiores retornos justamente por causa das menores taxas.

John Bogle definiu oito regras básicas para os investimentos. São elas:

  1. Escolha fundos de menor custo

Custos como taxas de administração podem comprometer o resultado do fundo. Por isso, escolha os de menor custo.

  1. Avalie cuidadosamente os custos de assessoria

Para Bogle, só vale a pena pagar por algo que gere valor. Logo, não se justifica o custo com uma assessoria que não gere retornos acima do mercado .

  1. Não superestime o retorno passado do investimento

Uma das regras clássicas dos fundos de investimento: a rentabilidade passada não garante ganhos futuros. 

  1. Analise o passado para determinar a consistência e o risco;

Em vez de projetar ganhos por meio do desempenho passado, utilize essas informações para avaliar a consistência e o risco do fundo de investimento.

  1. Tenha cuidado com as “estrelas”

Nesse caso, as “estrelas” são os gestores ou fundos famosos. Para Bogler, é um erro escolher os fundos apenas pelo renome.

  1. Dê preferência a fundos menores

Para o investidor, os fundos proporcionam os melhores resultados quando ainda são pequenos. Isso porque a proporção de crescimento tende a diminuir com o passar do tempo.

  1. Não pulverize os fundos

Ter muitos fundos pode aumentar o risco e comprometer os ganhos. Para Bogler, o ideal é um número máximo de cinco fundos.

  1. Mantenha o portfólio que você montou por um bom tempo

Por fim, o investidor aconselha manter o portfólio no longo prazo, como preconiza a estratégia buy and hold.

Neste artigo, saiba mais sobre a estratégia buy and hold.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo