O que são big techs?

Nos últimos anos, as big techs se tornaram cada vez mais presentes no dia a dia de todos nós. Pelo fato de conectarem pessoas ao redor do mundo (seja para fins comerciais ou, simplesmente, para comunicação), essas empresas tiveram expressiva valorização desde o início da pandemia.

Apple, Facebook, Google, Amazon e Netflix são alguns dos exemplos mais conhecidos de big techs no mundo inteiro. Mas afinal, o que define uma big tech? Como essas empresas nascem? Como elas funcionam, e qual é exatamente a sua influência na rotina das pessoas? É o que veremos nesse artigo. Continue a leitura e confira!

O que é uma big tech?

As big techs são as gigantes da tecnologia. Nesse sentido, elas têm abrangência mundial, e lideram diferentes setores relacionados à tecnologia.

O propósito de uma big tech é a inovação. Por isso, muitas delas nascem como startups, ou seja, sua origem vem de uma ideia original, que atrai investidores pelo fato de oferecerem alto potencial de crescimento e retorno.

Como o seu objetivo principal é a inovação, frequentemente as big techs quebram paradigmas. Dessa forma, são capazes de mostrar ao mundo novas maneiras de lidar com determinados setores da tecnologia.

Para que possam inovar, essas empresas precisam investir continuamente no sentido de descobrirem novas tecnologias e serviços. Dessa forma, conseguem atualizar seus produtos e serviços, o que as mantém na liderança dos seus respectivos setores.

As big techs e o mercado financeiro

Essas gigantes têm o poder de influenciar o comportamento e os hábitos das pessoas no mundo inteiro. Logicamente, isso inclui também atividades do mercado financeiro.

Um exemplo disso é o WhatsApp Pay, uma ferramenta do aplicativo WhatsApp que permite a realização de transferências e pagamentos entre usuários. E tudo pode ser feito de forma gratuita!

Assim como os bancos digitais, o WhatsApp Pay facilitará a vida de milhões de usuários que não têm acesso a bancos. Além disso, proporcionará considerável economia com taxas de transações bancárias.

Saiba mais sobre o WhatsApp Pay neste artigo.

Em relação a serviços financeiros, as big techs influenciam principalmente o público mais jovem. Um estudo realizado pela consultoria Accenture mostrou que 60% dos entrevistados da “geração y” (pessoas nascidas nos anos 80 e 90) disseram estar dispostos a realizar transações financeiras com o chamado grupo GAFA (Google, Apple, Facebook e Amazon).

E como investir nas big techs?

Se você quiser investir diretamente nas gigantes da tecnologia, precisará abrir uma conta em uma corretora norte-americana para adquirir ações dessas empresas.

No entanto, aqui no Brasil já é possível investir nas big techs, por meio dos BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e ETFs (Exchange Traded Funds). Inclusive foi lançado em abril o It Now Tech (ou TECH11), um ETF que replica o índice FANG+ da NASDAQ.

Esse índice representa ações de 10 gigantes da tecnologia mundial, e o TECH11 está disponível para negociação na B3 com aplicação mínima de R$ 50. No acumulado entre dezembro de 2019 e março de 2021, o índice FANG+ rendeu 210%. No mesmo período, a valorização do S&P 500 foi de 73,8% (em reais).

Se você gosta de assuntos relacionados à tecnologia no mercado financeiro, dê uma olhada nos artigos abaixo!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo