Qual é a diferença entre corretoras e distribuidoras?

Se eu te disser que não existe diferença entre as corretoras e as distribuidoras, você acreditaria? Pois é, é melhor começar a acreditar! Claro que são tipos de instituições financeiras diferentes, porém elas têm a mesma função e atuam no mesmo mercado.

A única diferença se dá pela separação que existia anos atrás, até 2009, para ser mais exato, uma vez que as Sociedades Distribuidoras De Títulos e Valores Mobiliários não podiam atuar na bolsa de valores e quando atuavam, era por meio das corretoras. Entretanto, em março de 2009, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e o Banco Central autorizaram as distribuidoras a atuar no mercado de ações.

Com isso, as distribuidoras começaram a atuar de maneira cada vez mais incisiva no mercado, acabando com a divergência com as corretoras. 

A função principal de ambas instituições é fazer a intermediação financeira entre o investidor e a bolsa de valores. Sendo que, ao longo dos anos, esta intermediação e o próprio investimento em ações vem se tornando cada vez mais acessível ao investidor. Graças a tecnologia, bastam poucos cliques para realizar negociações com os ativos da bolsa.

Qual delas o investidor deve escolher?

Para o investidor, cabe analisar a qualidade de serviço de cada instituição. Dentre eles, é importante ficar atento aos custos, a entrega de conteúdo, ao acompanhamento, as taxas que estão embutidas, qualidade de atendimento, velocidade das plataformas, transparência, dentre outros.

Tanto as corretoras quanto as distribuidoras possuem uma relevância muito grande no mercado de educação financeira, redução de riscos e intermediação financeira. Portanto, o que importa é se a instituição é confiável e se tem um portfólio de investimentos que se adequa ao seu perfil de investidor.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo