Qual é a diferença entre dividendos e juros sobre capital próprio?

Yubber, se você tem uma carteira de investimentos, muito provavelmente já viu essas duas coisas nela: dividendos e JSCP (Juros Sobre Capital Próprio).

Ambos são muito bons de receber, não é?!

Mas, elas têm uma simples diferença, que é: calma, Yubber, veremos mais adiante hehehe

Fique no artigo com a gente para entender de uma vez por todas a diferença entre dividendos e JSCP (Juros Sobre Capital Próprio).

Mas primeiro...

O que são dividendos?

Dividendos são nada mais do que uma fração do lucro distribuído aos acionistas. Ou seja, depois de apurado o lucro da empresa, uma parte dele é distribuída aos sócios.

Esse lucro distribuído já é líquido, portanto já descontado os impostos.

Algumas companhias não fazem essa distribuição por motivos estratégicos. Quando isso acontece, é interessante você, como dono, entender a estratégia por trás, pois às vezes essa tomada de decisão é para agregar valor e, consequentemente, beneficiar a todos.

Digo isso pois é comum ver no mercado vários investidores bravos por não terem recebido dividendos, mas não observa o cenário como um todo.

Cabeça de dono, ein?!

O que são JSCP (Juros Sobre Capital Próprio)?

Essa é outra maneira de remunerar os acionistas, mas a forma de apuração é diferente.

A base de cálculo é o PL (Patrimônio Líquido), encontrado no Balanço Patrimonial, e não do lucro líquido.

A taxa aplicada é uma taxa muito específica, utilizada para esse tipo de provento (JSCP), chamada TLP (Taxa de Longo Prazo).

O JSCP vai entrar como despesa na DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), portanto não haverá tributação em cima do valor, porque por ser uma despesa, o valor é deduzido.

Haverá, sim, IR (Imposto de Renda) sobre o valor antes de chegar na conta do acionista (IR de 15% descontado na fonte), mas a alíquota é menor do que o que as empresas geralmente pagam de IR (34%).

Isso vai ficar mais claro com o exemplo que darei agora.

JSCP e Dividendos na DRE

Vamos imaginar que o PL (Patrimônio Líquido) de uma determinada empresa seja no valor de R$ 40 mil, e que a TLP seja de 5%.

Agora, dê uma olhada em uma estrutura simples de DRE, retratando como ficaria com e sem JSCP.

Observe que na primeira situação, o JSCP é deduzido da DRE como uma despesa, e consequentemente, o valor que se paga de IR é menor.

Além do mais, há a vantagem de no final acontecer uma reversão dos JSCP, ou seja, mesmo que ele tenha sido descontado lá em cima, ele volta de novo para a demonstração lá embaixo, em forma de distribuição.

Juntando o valor dos JSCP + dividendos, o total de proventos distribuídos para o acionista é de R$ 6.320,00.

Agora, olhando para o segundo caso, sem os JSCP, o IR a ser pago é maior, pois não houve a dedução dos JSCP.

E observe que, mesmo os dividendos tendo resultado em um valor maior que no primeiro caso, não haverá outras distribuições além dele. Ou seja, somente ele será distribuído.

Portanto, enquanto o primeiro caso vai distribuir R$ 6.320,00 de proventos, o segundo caso vai distribuir apenas R$ 4.950,00, representando uma diferença de R$ 1.370,00.

Então, os JSCP têm uma vantagem tanto para a empresa, quanto para o acionista. A empresa paga menos IR, e o acionista recebe mais proventos.

Você deve estar se perguntando o motivo de as empresas não fazerem isso sempre. O fato é que, por lei, há um limite para se usar essa vantagem contábil.

Qual a diferença entre Juros Sobre Capital Próprio e Dividendos?

Aposto que já respondeu de cabeça alguma delas.

Para ficar mais fácil a compreensão, montei essa tabelinha.

E aí, Yubber, gostou do artigo? Eu consegui te ajudar?


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo