DRE (Demonstração do Resultado do Exercício): o que é e qual sua importância?

Se você é um investidor que prefere escolher empresas bem fundamentadas, é necessário conhecer as várias demonstrações e indicadores para tomar uma boa decisão.

Hoje, falaremos sobre uma demonstração chamada DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), uma das mais importantes na hora de analisar uma empresa.

O que é DRE (Demonstração do Resultado do Exercício)?

A finalidade exclusiva da DRE é apurar lucro ou prejuízo de um determinado período. Esse demonstrativo vai englobar as receitas, custos, despesas, ganhos e perdas.

A DRE é estruturada em um regime chamado regime de competência. E o que isso quer dizer? Vou explicar, mas primeiro, dê uma olhada em uma estrutura básica de DRE.

= RECEITA BRUTA DE VENDA DE BENS E/OU SERVIÇOS
(-) Impostos sobre vendas (ICMS, IPI, PIS, COFINS)
(-) Devoluções, descontos comerciais
= RECEITA LÍQUIDA
(-) Custo dos produtos, mercadorias ou serviços
= LUCRO BRUTO
(-) Despesas de vendas, administrativas e gerais
= EBITDA (ou LAJIRDA)
(-) Depreciação e Amortização
= EBIT (ou LAJIR)
(+) Receitas financeiras
(-) Despesas financeiras
= LAIR
(-) Imposto de renda/Contribuição Social
= LUCRO LÍQUIDO

Talvez você olhe alguma dessas contas, por exemplo, o lucro líquido, e imagina que o valor resultante é o que efetivamente entrou no caixa da empresa. Ou seja, se deu R$ 10 mil de lucro, significa que há de ter R$ 10 mil lá no caixa.

Essa afirmação está correta?

Não! Como eu disse lá em cima, a DRE é apurada pelo regime de competência.

Então, vamos supor que a empresa teve uma receita de R$ 100 mil. Concorda que, muito provavelmente houve um parcelamento do valor? Mas isso não interessa para a DRE.

Independente do parcelamento, o que será registrado em receitas, que é a primeira conta da demonstração, é o valor da venda (R$ 100 mil). Ponto final.

O mesmo raciocínio vale para o lucro líquido. Vamos imaginar que esses R$ 100 mil tiveram seus custos e despesas descontados, resultando em um lucro líquido de R$ 12 mil.

Esses R$ 12 mil, significa dinheiro em caixa? Não! Um dos maiores desafios das empresas é justamente converter o lucro da DRE em caixa.

Para você entender melhor sobre o assunto, vou deixar um artigo muito interessante aqui:

Fluxo de caixa: o que é, como analisar e por que é importante?

DRE e Fluxo de Caixa não devem andar separados. Enquanto o primeiro mostra lucro ou prejuízo, o segundo indica a conversão desse lucro ou prejuízo em caixa.

Por que a DRE é importante?

Yubber, através da DRE você já consegue enxergar bastante coisa sobre a empresa. Mas dizer isso não significa que deve olhar para ela de forma isolada, ok? Isso seria um erro.

Sempre que for realizar uma análise, tome como base mais de uma ferramenta, pois isso fará com que a sua decisão seja mais assertiva.

Como eu disse, a DRE é uma das ferramentas mais importantes de tomada de decisão. Com ela, você consegue entender as origens dos lucros, isto é, se ele foi operacional ou não, pois pode acontecer de a empresa lucrar, mas esse lucro não vir da operação dela, ou seja, do core business.

É possível, ainda, comparar a evolução da receita, dos lucros e margens de lucro (como margem bruta e margem líquida), além da rentabilidade (como ROE - Return On Equity).

Então, quando estiver avaliando alguma empresa, não se esqueça de olhar a DRE, combinado?

Espero que o artigo tenha te ajudado a dar os primeiros passos. A ideia não foi esgotar o assunto, e sim te dar uma base para que você possa se aprofundar no assunto.

E aí, Yubber, você conseguiu entender o que é a DRE?


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo