Patrimônio líquido: o que é e como analisar?

De maneira bem resumida, o patrimônio líquido representa a riqueza de uma empresa, ou seja, qual valor realmente pertence aos acionistas.

É um indicador de contabilidade que é calculado subtraindo os ativos da empresa pelos seus passivos. Os ativos correspondem a tudo que pode ser revertido em valor monetário em menor ou maior tempo, como por exemplo, dinheiro em caixa, estoque de produtos, imóveis etc. Já os passivos representam as obrigações que a empresa tem que pagar, como dívidas, salários e contas.

O patrimônio líquido de uma empresa possui algumas subdivisões, que são as contas presentes no PL:

  • Capital social: Representa todo o valor injetado pelos sócios na fundação da sociedade.
  • Reservas de lucro e de capital: Como o próprio nome indica, a companhia realiza reservas de lucro para executar determinadas funções.
  • Ações em tesouraria: São aquelas ações recompradas pela companhia ou aquelas que jamais foram emitidas. Esta recompra de ações pode ser considerada uma distribuição de participação ou até mesmo um “dividendo disfarçado”.
  • Ajuste de avaliação patrimonial: Trata-se de uma medida para estipular um valor justo de uma empresa em momentos em que certos quesitos forçam a liquidação da companhia, porém sem com que isso atrapalhe o valor final.
  • Patrimônio Líquido Negativo: Ocorre quando o passivo da empresa é maior que seu ativo.

A importância de analisar o patrimônio líquido

Vale ressaltar que este é um indicativo que não deve ser analisado isoladamente, entretanto ele tem muitas informações relevantes para mostrar.

É normal de se esperar que, ao longo dos anos, a medida que a empresa vai crescendo e aumentando seus lucros, o patrimônio cresça também. Este processo pode ser representado da seguinte maneira: 

  • Patrimônio Final = Patrimônio inicial + Lucros - dividendos

Como as empresas mais sólidas possuem um payout menor do que 100%, o patrimônio tende a aumentar ao longo do tempo. Portanto, este é um indicador de saúde financeira e riqueza da companhia.

Patrimônio líquido e seus indicadores

Uma outra maneira de analisar o PL é através de índices relativos, ou seja, índices que utilizam o patrimônio líquido em suas contas. São eles:

ROE

Este é o indicador de produtividade e rentabilidade da empresa, relacionando o lucro líquido com o PL. É o retorno sobre o capital investido pelos acionistas.

Por exemplo, se uma empresa lucrou 500 milhões nos últimos 12 meses, e, no mesmo período, a empresa teve um patrimônio médio de 2 bilhões, então o ROE é de 25%.

Empresas com uma boa saúde financeira e vantagens competitivas possuem um ROE elevado, de preferência acima da taxa Selic.

P/VPA

O P/VPA (Preço sobre valor patrimonial) é um indicador de valuation da empresa. Aqui é necessário bastante cuidado, porque muitos investidores amadores costuma utilizar este indicador como definitivo na escolha de um ativo que esteja “barato”.

Vamos pegar o exemplo anterior e supor que a empresa tenha 100 milhões de ações em circulação, assim o VPA é de R$5 (500 milhões / 100 milhões). Vamos supor que a ação esteja cotada a R$10, então o P/VPA é de 2 vezes (10/5).

Geralmente um P/VPA acima de 1 significa que a empresa está cara. Logo, quando está abaixo de 1, pode ser considerada barata.

Portanto, entender e saber utilizar o patrimônio líquido da empresa na hora de analisar um ativo, é de fundamental importância para compreender a lucratividade do negócio e como a empresa aloca e investe o seu próprio capital, alertando para a saúde financeira e prosperidade da companhia.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo