Margem de lucro: o que é e como calcular?

A margem de lucro é um importante indicador financeiro para análise de empresas. Ela é expressa em percentual, e corresponde ao lucro dividido pela receita de vendas de um determinado período.

Para fins de análise financeira, há quatro formas de calcular a margem de lucro, e todas elas são obtidas a partir da receita líquida de vendas. A seguir, veremos cada uma delas:

Margem bruta

Para encontrarmos a margem bruta, precisamos antes calcular o lucro bruto.

O lucro bruto é obtido pela diferença entre a receita líquida de vendas e os custos diretamente ligados à produção ou à prestação de um serviço. Ou seja:

Lucro bruto = receita líquida – custos de produção.

Depois de encontrado o lucro bruto, é só dividi-lo pela receita líquida para encontrarmos a margem bruta.

A margem bruta serve para determinar o grau de eficiência de produção de bens ou serviços de uma empresa.

Margem operacional

Já a margem operacional é obtida por meio da divisão entre o lucro operacional e a receita líquida.

Na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), o lucro operacional vem abaixo do lucro bruto. Ou seja, ele é o lucro bruto deduzido e acrescido de despesas e receitas operacionais:

Lucro bruto

(-) despesas administrativas

(-) despesas de vendas

(+/-) outras receitas/despesas operacionais

= Lucro operacional

Neste artigo, veja a estrutura completa do DRE.

Margem EBITDA

Por sua vez, a margem EBITDA é semelhante à margem operacional, ou seja, ela também reflete puramente o resultado operacional da empresa. A diferença é que ela não considera despesas que não provocam efeito no caixa, como depreciações e amortizações.

A margem EBITDA é importante para que o investidor possa avaliar a eficiência operacional da empresa na qual deseja investir. Neste artigo, saiba mais sobre como utilizar esse indicador. 

Margem líquida

Por fim, a margem líquida corresponde à última linha do DRE. Isto é, ela demonstra a relação entre o lucro líquido e a receita líquida de vendas da empresa.

Embora seja importante saber quanto a empresa gerou de lucro líquido no exercício, observar esse indicador isoladamente pode trazer distorções à análise do resultado. Isso porque, em algumas ocasiões, o lucro final pode estar ligado a atividades não recorrentes, ou seja, que acontecem esporadicamente na vida da companhia. A venda de um imobilizado ou a reversão de um prejuízo são alguns exemplos.

Em outras palavras, uma vez que esses eventos não são frequentes, eles acabam por distorcer o real resultado da empresa. Por isso, em uma análise, é sempre importante avaliar os quatro tipos de margem de lucro e compará-las a outras empresas do mesmo setor. Somente dessa forma o investidor terá uma noção mais clara sobre o potencial das empresas analisadas.

As margens de lucro são somente alguns dos importantes indicadores da análise fundamentalista. Neste artigo, conheça outros índices que também são bastante utilizados para analisar ações.

Deu para entender o que é e quais os tipos de margens de lucro? Conte pra gente: quais indicadores você costuma utilizar para analisar uma empresa?

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo