Por que uma empresa paga dividendos?

O dividendo nada mais é que o lucro de uma empresa distribuído para os acionistas. Mas você sabe o motivo pelo qual elas pagam esses dividendos? É sobre isso que falaremos hoje.

Além do mais, vou abordar também o motivo pelo qual algumas não pagam. Sim, há algumas empresas que não distribuem os dividendos.

Fique com a gente no artigo para entender melhor!

O que são dividendos?

Dividendos, como falado inicialmente, são os lucros da empresa distribuídos para os acionistas. Ou seja, é a parte do lucro que os sócios têm.  Sim, se você compra uma ação, automaticamente você é sócio da empresa.

Os lucros são pagos de acordo com a quantidade de ações que os acionistas detêm. Mas, importante dizer que nem todas as empresas distribuem dividendos, e nós vamos entender o porquê nos próximos tópicos.

Destino dos lucros

Uma empresa, quando obtém lucro, ela pode destiná-lo de quatro formas:

  • Reinvestimento no negócio: o reinvestimento se dá quando a empresa quer expandir suas operações, gerando valor futuro para os acionistas;
  • Recompra de ações: quando a empresa recompra ações, ela diminui o número de papéis em circulação, logo, a participação do acionista aumenta sem ele ter comprado mais ações. Além do mais, se o lucro se mantém mais ou menos no mesmo patamar, o LPA (Lucro Por Ação) se eleva, o que pode favorecer o seu preço de mercado;
  • Compra de outras empresas: ao comprar outras empresas, há também um grande potencial de geração de valor;
  • Pagamento de dividendos: em geral, quando a empresa distribui os dividendos de forma recorrente, é porque o lucro dela está ocioso, ou seja, naquele momento não há nenhum projeto que justifique o reinvestimento do lucro.

A administração da empresa deve sempre tomar decisões que vão favorecer os acionistas. Todas essas destinações citadas acima têm seus pontos positivos e favorecem o acionista de alguma forma.

Mas, dependendo do cenário atual da empresa, do estágio em que ela se encontra, das metas e objetivos, uma pode fazer mais sentido que a outra. Portanto, o ideal é que a análise seja feita de forma sistêmica para tomar a melhor decisão.

Sabe uma coisa que é bastante comum e também incoerente no mercado de capitais? Alguns investidores não gostam da ideia de uma empresa não distribuir dividendos, ou de diminuir a distribuição de dividendos, mas esquecem que eles são sócios dela.

Se a empresa tomou a iniciativa de não distribuir ou diminuir os dividendos, talvez tenha tido alguma estratégia por trás que pode beneficiar a todos, então que tal entendê-la e pensar como dono?

Política ótima de dividendos

É comum ler por aí que uma política de dividendos considerada ótima é aquela que une, da melhor forma, o volume a ser retido pela empresa (portanto, reinvestido) e o volume a ser distribuído.

Em suma, a definição de uma política de dividendos, bem como as decisões de financiamento e investimento tomadas por uma empresa, está profundamente ligada com o objetivo final de uma empresa.

Esse objetivo final é promover a maximização da riqueza de seus acionistas.

Basicamente, a política de dividendos deve ser traçada buscando maximizar o patrimônio dos acionistas de uma empresa.

A decisão de reter os lucros deve ser tomada quando houverem oportunidades de investimentos nos negócios da empresa, sendo eles economicamente melhores do que os dispostos alternativamente aos acionistas.

Caso contrário, os lucros retidos serão considerados ociosos e, portanto, é mais atraente distribuí-los. É aí então que está o motivo de algumas empresas distribuírem os dividendos.

E aí, Yubber, o artigo fez sentido para você?


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo