Qual é a diferença entre emissão de debêntures e ações?

Quando falamos de ações, estamos falando de títulos de propriedade. Agora, quando falamos de debêntures, nos referimos a títulos de dívida.

Por que eu estou contando isso? Você vai entender mais à frente.

Vem comigo, Yubber!

Como uma empresa emite uma debênture?

Antes de falar sobre a emissão propriamente dita, gostaria de destacar que, para uma empresa emitir uma debênture, ela precisa ser uma S/A não financeira. Isso significa dizer que, bancos, por exemplo, não estão permitidos.

As únicas companhias do sistema financeiro autorizadas a emitir debêntures são as de leasing.

Se tratando da emissão, além de a empresa ter de ser, obrigatoriamente S/A não financeira, há também outra regra imprescindível: obter permissão da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Portanto, não é simplesmente querer lançar os títulos e distribuí-los. Primeiro, é necessário autorização para depois a oferta ir ao mercado.

Para que elas cheguem ao mercado, é preciso de um intermediador, podendo esse ser um banco múltiplo, de investimento, corretora.

E você sabe o motivo pelo qual empresas emitem debêntures?

É simples. O dinheiro captado tem como finalidade financiar projetos ou reestruturar dívidas. Com essa alocação de recursos em projetos ou reestruturação de dívidas, elas podem crescer.

Basicamente, quando você compra uma debênture, você está, na prática, emprestando dinheiro, o que significa dizer que você receberá, depois, o seu capital principal acrescido de juros.

Ah, e se você quer saber mais sobre debêntures e como funcionam, é só clicar AQUI!

Como uma empresa emite ações?

Para uma empresa emitir ações, é o mesmo raciocínio. Não adianta ela só querer: é necessário que a CVM autorize isso.

Outro ponto importante é que há duas formas de emissão:

  • IPO (Inicial Public Offering): quando a empresa vai emitir ações no mercado pela primeira vez;
  • Follow-on: quando a empresa já tem ações listadas em bolsa, ou seja, já passou pelo processo de IPO, mas quer emitir novas ações.

E por que uma empresa emite ações?

Há vários motivos, mas um deles também é captar recursos para financiar projetos. Mas geralmente as empresas que emitem ações estão em um estágio mais maduro.

Se você ler o artigo de IPO e follow-on destacados nos tópicos acima, entenderá melhor os objetivos.

Bom, você já conheceu algumas semelhanças entre a emissão de debêntures e ações, como a autorização obrigatória da CVM, objetivos de captação e enquadramento em S/A não financeira.

Mas, qual a diferença entre emissão de debêntures e ações?

Acredito que, com algumas explicações durante o artigo, você já tenha entendido quais são essas diferenças.

Então, vamos lá:

1. Embora tenham objetivos parecidos, debênture é um título de dívida, portanto o investidor, ao comprar uma debênture, está emprestando dinheiro para a empresa. 

Agora, quando falamos de ações, falamos sobre títulos de propriedade, logo, quando um investidor compra uma ação, ele está, na prática, adquirindo uma fração da empresa e, portanto, se tornando sócio, e não emprestando dinheiro. 

Isso significa dizer que, muito embora os objetivos sejam parecidos (ou iguais), uma oferece ao investidor um título que representa um empréstimo, já a outra oferece uma fração da empresa.

2. Quando uma empresa quer emitir ações pela primeira vez, ela precisa fazer o processo de IPO. Se ela já tem ações listadas, ela precisa fazer um follow-on. Agora, tratando-se de debêntures, isso não acontece, o processo é o mesmo.

3. Outro ponto é que, enquanto as debêntures são lançadas no mercado de renda fixa, as ações são lançadas no mercado de renda variável.

E aí, Yubber, entendeu as diferenças?


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo