Criptomoeda é um bom investimento para proteção de carteira?

Não é de hoje que o mercado de criptomoeda vem registrando altas expressivas. Somente em 2020, o bitcoin valorizou mais de 270%, e o ethereum, a segunda criptomoeda mais conhecida, subiu 667%.

Mas será que esse ativo é um bom investimento para proteção de carteira? A seguir, veremos um pouco mais sobre o funcionamento das criptomoedas, e descobriremos o que o mercado espera delas para 2021. Confira!

Para começar, como funcionam as criptomoedas?

Aqui no Yubb já falamos sobre criptomoedas. Para relembrar: esse ativo funciona como se fosse uma espécie de dinheiro da internet. A diferença é que a criptomoeda não tem um sistema centralizado de controle, como um banco central, por exemplo.

As transações com criptomoedas acontecem de forma anônima na web. Elas são armazenadas em uma carteira e administradas pelo próprio detentor, por meio do seu notebook ou smartphone.

Algumas grandes empresas, como DELL, WordPress e Soundcloud já aceitam pagamentos em criptomoedas. No entanto, ela ainda é pouco representativa no comércio mundial.

Como o mercado vê a criptomoeda para 2021?

Em relatório divulgado a seus clientes no final de 2020, o banco JP Morgan considerou o bitcoin um rival do ouro. Seus analistas acreditam que possa ser negociado a até US$ 146 mil neste ano, desde que consiga se firmar como um ativo seguro.

Quanto ao ethereum, alguns especialistas esperam que a sua valorização continue, embora ainda sofra ajustes no decorrer do ano. Isso porque investidores institucionais começaram a olhar para a criptomoeda, assim como aconteceu com o bitcoin há mais tempo. Por uma questão de diversificação, é natural que esses investidores, depois do bitcoin, passem a demandar mais o ethereum, que é a segunda criptomoeda mais valorizada do mercado.

Mas afinal, que criptomoeda é um bom investimento para proteção da carteira?

Alguns especialistas acreditam que a valorização das criptomoedas no último ano foi alimentada pela expectativa de que elas poderiam ser uma proteção contra a inflação em plena pandemia da Covid-19. Outros ainda acreditam que o excessivo ganho de valor pode ser uma euforia de curto prazo.

O fato é que, mesmo tendo valorizado de forma exponencial nos últimos anos, as criptomoedas são ativos de muita volatilidade. Logo, representam grande risco para o investidor, pois podem se desvalorizar na mesma velocidade e proporção com a qual se valorizam.

Neste artigo, saiba mais sobre os riscos dos investimentos em criptomoedas.

Mesmo com a valorização histórica do último ano, o mercado acredita que ainda exista espaço para que as criptomoedas ganhem valor em 2021.

No entanto, investir em criptomoedas exige ousadia e nervos de aço. Isso porque a volatilidade e falta de regulamentação desse ativo não proporciona a mesma segurança de proteções tradicionais, como o ouro, a prata ou o dólar, por exemplo. Logo, a criptomoeda deve ser vista mais como uma opção de rentabilizar os investimentos do que, propriamente, proteção de carteira.

Gostaria de saber mais sobre formas de proteção de investimentos? Neste artigo, explicamos como funciona o hedge, e de que forma algumas operações podem proteger o seu patrimônio:

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo