Como analisar um ETF: 3 dicas

Os Exchange Traded Funds (ETFs), também chamados “fundos de índice”, são boas alternativas de diversificação para a carteira. Além disso, quando atrelados a um índice como o IPCA, por exemplo, podem proteger os seus recursos dos efeitos da inflação.

Mas você sabe como escolher esses fundos? O que olhar na hora de adquirir esse ativo? Neste artigo, veja três dicas que separamos para lhe ajudar a analisar um ETF. Confira a seguir!

Dica 1 - Conheça e monitore o índice que ele replica

No mercado financeiro, existe uma infinidade de índices que servem como benchmark para o rendimento das aplicações. Diante dessa diversidade, como escolher o mais adequado para o seu ETF?

Uma dica é considerar as seguintes possibilidades para o índice desses fundos:

- o ETF pode representar ativos específicos e regionais de cada país;

- também pode estar vinculado a setores de interesse do investidor, como indústria, tecnologia, financeiro, telecomunicações, varejo, entre outros;

- por fim, o ETF pode representar determinadas classes de investimentos, como ativos cambiais, renda fixa, commodities, imóveis, e assim por diante.

Uma vez conhecido o índice que o ETF replica, é necessário fazer duas coisas. A primeira é ver o quanto o fundo é aderente ao benchmark proposto. A segunda é analisar o seu histórico para ver se a aderência se mantém ao longo dos períodos analisados.

E por que é importante fazer essa análise?

O motivo é simples: embora um ETF siga o desempenho do seu índice de referência, isso nem sempre ocorre de forma tão alinhada, e há diversos motivos para isso. Um deles são determinados custos envolvidos na gestão do fundo, que podem afetar o seu desempenho e, consequentemente, a sua rentabilidade.

Dica 2 – Analise a liquidez do ETF

Diferentemente de outros fundos, os ETFs são negociados na bolsa de valores, o que, em tese, poderia conferir liquidez diária a esses investimentos.

No entanto, ainda existem poucos ETFs no mercado brasileiro. Atualmente, são pouco mais de 20 fundos negociados na bolsa, e isso faz com que alguns não sejam tão facilmente comprados e vendidos a todo momento.

Alguns ETFs com histórico de boa liquidez são BOVA11, BOVV11, IVVB11, PIBB11 e SMAL11. Porém, é interessante sempre atualizar as informações sobre o volume de negociações antes de adquirir esse ativo.

Neste artigo, conheça os ETFs listados na bolsa de valores brasileira.

3 – Entenda os custos do fundo 

A negociação de ETFs na bolsa envolve as taxas de negociação na bolsa e as taxas de administração, que, normalmente, são baixas quando comparadas a outros fundos.

No entanto, quando ocorre a emissão de novas cotas ou o resgate de cotas já existentes no mercado primário, pode haver cobrança de uma taxa de integração/resgate. Mas essa cobrança só pode acontecer se estiver prevista no regulamento do fundo.

Essas foram algumas dicas para que você saiba analisar um ETF na hora de investir no ativo. Utilize o buscador do Yubb e veja outros materiais que temos sobre o assunto aqui no site! 

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo