Fundos exclusivos: o que são e como funcionam?

Os fundos exclusivos são investimentos mais personalizados, pouco conhecidos pelo público em geral. Isso porque eles são voltados a um público de alta renda, com maior disponibilidade de recursos para aplicar.

A seguir, entenda como funcionam esses fundos.

O que é um fundo exclusivo?

A grande diferença entre o fundo exclusivo e os demais fundos é o fato de ele ser criado e estruturado para um único cotista. Isso faz com que toda a sua política de investimentos seja desenvolvida de forma a atender os interesses de um investidor específico.

Devido a sua personalização, o fundo exclusivo acaba sendo acessível apenas a investidores qualificados. Normalmente, o aporte mínimo nesse tipo de investimento gira em torno de R$ 10 milhões.

Como funcionam esses fundos?

O operacional dos fundos exclusivos é semelhante ao dos outros fundos. Para que funcionem legalmente, eles devem ser registrados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e na ANBIMA. A diferença é que, pelo fato de ter sido criado de forma customizada, ele não aceita mais de um cotista.

No mais, esses fundos seguem as mesmas regras já conhecidas e possuem, além do investidor, os seguintes participantes:

  • o gestor, responsável pela alocação dos recursos e acompanhamento dos ativos que formam o fundo;
  • o administrador, que operacionaliza o fundo;
  • o custodiante, que registra e mantém os ativos do fundo em segurança;
  • o auditor, responsável pela verificação dos custos e movimentações do fundo.

Tipos de fundos exclusivos

Os fundos exclusivos podem ser abertos ou fechados. Veja agora as diferenças entre eles:

Fundos abertos

Nos fundos abertos, o Imposto de Renda é semestral e incide o come-cotas (exceto nos fundos de ações), e as aplicações e resgates podem ocorrer a qualquer momento. 

Neste artigo, entenda como funciona o come-cotas nos fundos de investimento.

Além disso, esse tipo de fundo tem prazo indeterminado e o seu regulamento não permite que as cotas sejam transferidas para outro investidor.

Fundos fechados

Já os fundos fechados não têm incidência do come-cotas, e as movimentações (tanto aplicações quanto resgates) devem seguir regras específicas.

O prazo desses fundos é determinado, porém pode ser prorrogado. Por fim, nos fundos fechados é possível que sejam feitas transferências de cotas por meio de termo de cessão.

Vantagens dos fundos exclusivos

Além da personalização, outras vantagens desses fundos são as seguintes:

Tributação

Caso haja movimentação interna de recursos no fundo, não é cobrado IR. Dessa forma, o investidor pode movimentar dinheiro entre as aplicações sem ser tributado por isso

Questões sucessórias

Em um processo sucessório, as cotas desses fundos podem ser transferidas ou doadas, de acordo com a legislação.

Proteção patrimonial

Donos ou altos executivos de empresas costumam usar esses fundos como forma de proteção do patrimônio. Caso a empresa venha a ter problemas, os seus recursos ficam a salvo de implicações legais.

Desvantagens dos fundos exclusivos

Por outro lado, esses investimentos também possuem alguns pontos pouco favoráveis. O principal deles são os elevados custos de criação e manutenção. Nesses fundos, a taxa de administração costuma ser maior do que a média geral, o que pode comprometer a rentabilidade do investimento.

Ficou com alguma dúvida, ou gostaria de saber mais sobre os fundos exclusivos? Mande seus comentários que a gente responde!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo