Como investir em commodities?

Você provavelmente já ouviu nos noticiários alguma coisa sobre as commodities. Acontece que elas são imprescindíveis para as nações, pois os preços afetam a economia e a Bolsa de Valores.

Se você está aqui neste artigo, provavelmente tem algum interesse em realizar esse tipo de investimento, então fique aqui para saber mais!

O que são commodities?

As commodities são matérias-primas brutas, pouco processadas. Elas são negociadas no mercado através de contratos futuros ou opções.

Outras características das commodities é que a maioria pode ser estocada sem perder a qualidade. E o interessante é que estes insumos possuem propriedades bastante semelhantes de um produtor para o outro.

Então, as commodities são facilmente intercambiáveis e negociadas de forma ampla no mercado doméstico e mundial.

E quanto aos preços das commodities, eles variam diariamente e são definidos pela lei da oferta e demanda, e não pela empresa que produz.

Portanto, resumindo algumas de suas características:

  • São produzidas em larga escala;
  • Possuem importância mundial;
  • Podem ser estocadas sem perderem a qualidade;
  • Os preços são definidos pela oferta e demanda, e não pela empresa.

Mas aqui vai um alerta: investimentos em commodities são indicados para investidores experientes, pois os riscos são altos.

Tipos de commodities

As commodities podem ser classificadas em:

  • Agrícola: milho, café, açúcar, soja, carne bovina, suco de laranja, algodão, trigo;
  • Ambiental: água, madeira, créditos de carbono;
  • Financeira: índices, dólar, euro, real, títulos públicos;
  • Química: soda cáustica, ácido sulfúrico, sulfato de sódio, fertilizante;
  • Mineral: petróleo, ferro, etanol, minério de ferro, gás natural, ouro;
  • Recursos energéticos: etanol, gás natural, eletricidade.

Como investir em commodities?

As commodities podem ser realizadas através de contratos futuros ou opções com o produto desejado.

Basicamente, este ativo confere ao investidor o direito de comprar ou vender a commodity sob preço e quantidade em uma data futura estabelecida.

O objetivo é utilizar as projeções quanto aos preços das commodities para obter ganhos de capital ou também ajudar a proteger os produtores e compradores contra as oscilações, em operações denominadas hedge.

Nesse caso, o lucro vem da diferença entre o preço atual e o preço definido em contrato. Basicamente, o que vai acontecer é que as cotações serão bloqueadas para o futuro.

Funciona mais o menos assim:

  • Se no dia da liquidação da commodity o preço estiver abaixo do contratado, o vendedor é que sai ganhando, pois ele terá executado lucro com a venda;
  • Agora, se o preço estiver acima, quem ganha é o investidor que comprou a commodity.

Se você pensa em investir, é preciso que tenha uma conta em alguma corretora para que tenha acesso às plataformas de investimento.

Fique atento aos custos das operações, que geralmente dizem respeito à taxa de corretagem, taxa de custódia.

Considere o seu perfil de investidor. Esse tipo de investimento possui muito risco, indicados, então, para investidores com experiência.

Se você, portanto, ainda não se sente preparado para realizar esse tipo de operação, pode considerar investir em empresas listadas na bolsa que possuem alguma relação com commodities.

Lembrando que isso não é uma recomendação de investimento!

Há muitas empresas na bolsa de valores que possuem relação com o setor, isso porque o Brasil é um dos maiores produtores/exportadores de commodity.

Alguns exemplos de empresas listadas, são:

  • Camil (CAML3)
  • Suzano (SUZB3)
  • PetroRio (PRIO3)
  • Metalúrgica Gerdau (GOAU4)

 E aí, Yubber, você pensa em investir nesse setor?

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo