CDI, DI e Selic: o que são e quais as diferenças?

São tantos termos e siglas no mercado financeiro que, às vezes, é quase impossível não fazer alguma confusão, não é mesmo? No caso do CDI, DI e Selic, isso acaba acontecendo com mais frequência ainda, afinal todas essas expressões dizem respeito a taxas de juros.

Neste artigo, a gente vai mostrar o que cada uma dessas siglas significa, e de que forma elas mexem com a economia e com o mercado financeiro. Continue a leitura e descubra!

Afinal, o que são CDI, DI e Selic?

A primeira coisa a saber é que CDI, DI e Selic são taxas que servem como base para remuneração de investimentos e para taxas de empréstimos bancários. Dito isso, vejamos agora cada uma delas separadamente.

CDI (Certificado de Depósito Interbancário)

Para entendermos o que é o CDI, antes precisamos conhecer alguns aspectos sobre o funcionamento dos bancos no Brasil.

Por determinação do Banco Central, todos os bancos brasileiros devem fechar o dia com o caixa positivo. Porém, é comum que, em determinados dias, algumas dessas instituições façam mais empréstimos do que aplicações financeiras.

Quando isso acontece, quem emprestou mais do que aplicou fica com saldo “negativo” de caixa no final do dia. A solução para resolver isso é tomar emprestado o valor que faltou para cobrir o caixa junto a outra instituição financeira. Esses valores emprestados são de curtíssimo prazo, e normalmente são liquidados entre os bancos em menos de 24 horas, pois a finalidade é só evitar que o caixa durma a descoberto.

O nome CDI vem justamente do tipo de transação, ou seja, dos depósitos interbancários que ocorrem entre os bancos para cada um equilibrar o seu caixa. Por isso, outra forma de se referir ao CDI é simplesmente DI. Logo, CDI e DI têm o mesmo significado.

Selic

O nome vem da abreviação de Sistema Integrado de Liquidação e Custódia. A Selic é a taxa básica da economia brasileira, e está diretamente relacionada ao CDI. Vejamos por que isso acontece.

Os empréstimos realizados entre os bancos para cobrir o caixa são garantidos por títulos emitidos pelo governo federal, os chamados títulos públicos. Por sua vez, a finalidade do governo ao emitir esses títulos é levantar recursos para custear as suas atividades.

É por isso que a taxa Selic tem relação com o CDI (ou DI). Ou seja, ela é calculada a partir da média de juros cobrada nas transações entre os bancos.

Relação da Selic com as taxas de juros e com a economia

A Selic não afeta somente as transações interbancárias, mas sim todos os aspectos da economia. De alguma maneira, todas as pessoas são afetadas pela taxa básica de juros.

Além dos efeitos nos investimentos e no custo do crédito bancário, a Selic influencia também a inflação. Isso porque, quando ela está baixa, há uma tendência de que mais dinheiro circule na economia, afinal as pessoas se sentem mais motivadas a consumir. A alta do consumo pode pressionar os preços, causando inflação.

Quando a inflação aumenta acima da meta estabelecida pelo governo, uma das alternativas para contê-la é justamente aumentar a taxa básica de juros. Isso fará com que as pessoas comprem menos, por causa do maior custo do dinheiro.

Deu para entender as diferenças e a relação entre CDI, CD e Selic? Mande suas perguntas se quiser saber mais a respeito!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo