Quais são os tipos de debêntures?

As debêntures são um tipo de investimento em renda fixa onde os investidores emprestam dinheiro a empresas privadas que, por sua vez, pagam juros sobre o capital aplicado. Geralmente, essas operações são feitas para custear novos projetos ou até mesmo para arrecadação de folha de pagamento.

Quais os tipos de debêntures disponíveis?

As debêntures podem ser classificadas de várias maneiras, seja pelas características, cobrança de impostos, rentabilidade ou pelo registro. Portanto, o investidor deve conhecer quais são as condições de cada uma dessas situações antes de investir.

Debêntures Simples, Conversíveis ou Permutáveis

Existem papéis de dívida empresarial que podem ou não ser conversíveis em ações dessa mesma empresa. As debêntures que não permitem essa transição são chamadas de simples e as outras de conversíveis.

Já as permutáveis possibilitam também a conversão dos títulos em ações de outras companhias - e não somente os ativos da emissora, como nas conversíveis.

Debêntures Incentivadas ou Comuns

A diferença aqui está na cobrança de imposto de renda sobre os rendimentos. As Debêntures Incentivadas são aquelas que possuem um estímulo governamental e são isentas dessa cobrança. Normalmente, acontece em companhias de setores estratégicos para alavancar o crescimento do mesmo.

Obviamente, as Debêntures Comuns possuem a cobrança dessa taxa que incide de forma direta nos ganhos do capital investido. Lembrando que a alíquota segue a tabela regressiva de Imposto de Renda - podendo variar de 22,5% a 15%, dependendo do tempo da aplicação.

Debêntures Nominativas ou Escriturais

A classificação aqui leva em conta o registro do título. As debêntures nominativas são aqueles papéis que são emitidos e controlados pela própria empresa emissora. Já as escriturais são destinadas às debêntures que possuem uma companhia para custodiar o nome do investidor, normalmente, uma corretora.

Debêntures prefixadas, pós-fixadas ou híbridas

Assim como nas outras modalidades de investimento em renda fixa, a rentabilidade das debêntures também podem estar ou não atreladas a indicadores fixos.

Os papéis prefixados possuem rendimento de acordo com um valor previamente estabelecido. Na emissão do título, o investidor sabe exatamente quanto essa aplicação vai render.

No modelo pós-fixado, os ganhos são atrelados a algum indexador econômico que pode ser o CDI ou a Selic. Nesta categoria, o investidor não sabe exatamente quanto será o rendimento líquido na data de vencimento.

Numa mescla dos dois primeiros, existem as debêntures híbridas. Geralmente, o indexador econômico usado é um índice de inflação (IPCA, por exemplo). Além dele, um valor fixo de juros é adicionado ao rendimento. Neste modelo, o investidor não sabe exatamente quanto vai render, mas tem a certeza que os ganhos vão superar a inflação do período.

Quais são as garantias das debêntures?

É importante frisar que esse tipo de investimento não possui garantia do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) e por essa razão não pode ser considerado de baixo risco, como a maioria dos outros papéis em renda fixa.

Aos investidores, as empresas costumam dar garantias sobre os ativos e bens. Por isso, é muito importante conhecer como é a gestão administrativa da emissora de debêntures antes de fazer aplicação.

Obviamente, por oferecerem maior risco, esses papéis de dívida de empresas privadas costumam render mais do que nas outros tipos de investimento. No entanto, é preciso cautela para escolher a melhor instituição para você fazer essa operação.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo