PSR (Price to Sales Ratio): entenda esse indicador

Yubber, em análise fundamentalista há uma série de ferramentas que auxiliam na etapa de análise e tomada de decisão. Hoje, falaremos sobre o PSR (Price to Sales Ratio).

O PSR é um indicador utilizado na análise fundamentalista, e vai auxiliar na avaliação do preço de ativos financeiros.

Através do PSR você pode encontrar, por exemplo, empresas com potencial de crescimento, e isso é possível pois ele permite que o investidor compare as ações que estão subvalorizadas, gerando mais oportunidade de entrega de valor no longo prazo.

O que é PSR?

Como já foi descrito, PSR significa Price to Sales Ratio. Traduzindo, ficaria Índice de Preços sobre Vendas.

Ele é um indicador fundamentalista, e fazendo o uso dele, o investidor consegue comprar empresas, pois o PSR vai mostrar como o mercado avalia suas receitas.

Ele é importante não só para o investidor, mas também para a própria empresa, pois ela consegue avaliar suas vendas e, ao mesmo tempo, comparar as vendas dos concorrentes.

O ideal é que a comparação seja feita com empresas do mesmo setor. Faz sentido? Porque o indicador tem relação direta com a receita, portanto se você o aplicar em um ramo diferente, por exemplo, pode ser que haja uma discrepância muito grande no volume de vendas.

Quanto menor o indicador, melhor! Se o resultado for menor que 1, ele é considerado ótimo.

Como calcular o PSR?

É moleza, Yubber. A fórmula é a seguinte:

PSR = Valor de mercado / Receita líquida total

Vamos para um exemplo.

Imagine uma companhia do setor bancário, cuja receita líquida dos últimos 12 meses foi de R$ 300 bilhões, com valor de mercado de R$ 250 bilhões.

Aplicando a fórmula, ficaria:

PSR = R$ 250 bilhões / R$ 300 bilhões = 0,83

Ou seja, o resultado indica que a empresa está subvalorizada, ou, caso prefira dizer, o valor está inferior ao preço justo.

Se quiser usar o indicador como uma métrica comparativa, basta aplicar a fórmula em outras empresas, e lembrando: do mesmo setor.

Fisher e o PSR

O PSR ficou conhecido mundialmente após o analista Kenneth Fisher popularizar o indicador para identificar ações atraentes.

Ele também é conhecido como Ken Fisher, e em 1984 lançou a obra Super Stocks, e foi aí, então, que aconteceu a popularização.

Ken Fisher criou 3 regras de ouro para utilizar o indicador PSR, portanto, vamos conhecê-las.

Regra 1: Evite ações com PSR maior que 1,5

Regra 2: Busque super empresas com PSR de 0,75 ou menos

Regra 3: Venda ações de super empresas quando o PSR subir entre 3 e 6

Ken Fisher também fala sobre alguns aspectos qualitativos, e ressalta 5 pilares que são importantes que as empresas apresentem. São eles:

  • Orientação para o crescimento;
  • Excelência em marketing;
  • Alguma vantagem competitiva;
  • Relações criativas de pessoal;
  • O melhor em controles financeiros.

Combinação de indicadores

É interessante também combinar o PSR com o Preço/Lucro (P/L). Então, por exemplo, imagine uma empresa com P/L baixo (o que é bom), porém com PSR alto (o que é ruim). Isso mostra para o investidor que há algo de errado com o lucro.

Ou seja, talvez houve um lucro não esperado ali, porque veja bem, o primeiro modelo utiliza o valor de mercado na fórmula, que nada mais é que a quantidade de ações multiplicada pelo preço da ação do mercado, portanto, o valor monetário total das ações. Já o segundo modelo considera o preço da ação do mercado, porém de maneira individual.

Se a razão entre o valor de mercado e receita líquida, como o PSR propõe, resulta em um valor alto, significa que o valor de mercado é maior que a receita líquida.

E se a razão entre o preço da ação e o lucro por ação, como o P/L propõe, resulta em um valor baixo, significa que o preço da ação é menor que o lucro por ação.

O que isso significa? Bom, as empresas, no momento em que constroem a DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), elas partem primeiro da receita, até chegarem ao lucro e, ao longo desse processo, uma série de coisas são descontadas - ou somadas, caso haja alguma receita que não seja operacional.

Então, se nos dois modelos estamos usando o preço da ação, como o P/L deu um resultado maior que o PSR, sendo que o P/L leva em conta o lucro, e não receita?

Opa, é aí que está! Provavelmente esse lucro maior do que o esperado foi proveniente de alguma medida não-recorrente da empresa.

Conseguiu captar a ideia, Yubber?

Inclusive, aqui vai uma dica: nunca faça análises isoladas.

Quando fazemos avaliações baseadas em um conjunto de dados, a tomada de decisão é muito mais assertiva.

Agora conta pra mim, Yubber: consegui te ajudar a entender o que é PSR?


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo