Vale a pena investir em BDRs de ETFs?

Se você quer conhecer alternativas para diversificar os investimentos em ativos internacionais, precisa saber como funcionam os BDRs de ETFs.

Sim, é mais uma sigla entre as tantas que conhecemos no meio financeiro, e que causam confusão entre os investidores, certo? Mas essa aplicação é bastante simples, e pode trazer retornos interessantes, principalmente se você está buscando opções em moedas estrangeiras. Então, continue a leitura e saiba mais sobre os BDRs de ETFs.

Por que investir em BDRs de ETFs?

Essa é uma pergunta que muitos investidores têm feito nos últimos tempos. Afinal, BDRs e EFTs são investimentos distintos. Logo, o que justificaria investir em um BDR de ETF?

Para entendermos, primeiro vamos rever rapidamente o conceito de cada um deles. Acompanhe!

BDRs

Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) são títulos que representam ações de empresas do exterior, negociados na bolsa de valores brasileira. Ou seja, eles representam os papéis dessas companhias, mas são investimentos feitos em reais e sujeitos à legislação brasileira.

Neste artigo, saiba mais sobre os BDRs.

ETFs

Os Exchange Traded Funds (EYFs), também conhecidos como “fundos de índices”, visam replicar determinado indicador do mercado financeiro. Esses fundos podem tanto acompanhar índices nacionais (como o Ibovespa), quanto índices estrangeiros.

O objetivo de um ETF não é superar o seu índice de referência, mas sim acompanhá-lo. Por isso, ele é considerado um fundo de gestão passiva, logo o seu custo é menor se comparado a fundos de investimentos de gestão ativa.

Clique aqui, e saiba mais sobre como funcionam os ETFs.

E quanto às vantagens dos BDRs de ETFs?

A principal vantagem que o investidor tem com essa aplicação é a possibilidade de diversificação com um custo bem menor. Pense no seguinte: se você quiser montar uma carteira de BDRs diversificada, precisará comprar vários títulos, certo? Isso custará mais caro, pois você terá mais gastos com corretagem ao realizar mais de uma operação.

No entanto, no caso do BDR de ETF, basta o investidor adquirir cotas desses ativos para que possa investir em índices internacionais que representam diversas empresas estrangeiras. Quer ver alguns exemplos que já estão à disposição do pequeno investidor na B3?

BAAX39: acompanha o índice MSCI All Country Asia ex Japan (AAXJ). que representa o desempenho de ações de grandes e médias empresas asiáticas, com exceção do Japão.

BEWG39: acompanha o índice MSCI Germany, que representa 85% do mercado acionário alemão.

BEWJ39: replica o índice MSCI Japan Index, formado por aproximadamente 300 companhias da economia japonesa.

BEWU39: acompanha o índice MSCI United Kingdon, que representa cerca de 90 empresas da região, responsáveis por cerca de 85% da capitalização do mercado acionário.

Conclusão

Como vimos, o BDR de ETF é mais uma opção de diversificação em moeda estrangeira disponível para o investidor no Brasil. Existem outras opções na B3, basta acessar o site para conhecê-las.

Aqui no Yubb, a gente já falou algumas vezes sobre a importância que a diversificação do risco-país tem para os investimentos. Clique no link abaixo, e saiba mais sobre o assunto!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo