O que é uma carteira teórica?

Se você já investe em ações, ou conhece um pouco sobre mercado de capitais, já deve ter ouvido falar em carteira teórica de investimentos. Ela é um instrumento que ajuda muito o investidor na hora de tomar decisões a respeito do portfólio.

A seguir, entenda o que é uma carteira teórica, e qual a sua importância para os investidores.

O que é uma carteira teórica?

Basicamente, a carteira teórica é uma representação de um portfólio, formada por um grupo específico de ativos. Essa representação tem o objetivo de avaliar o desempenho desses ativos no mercado financeiro.

Em outras palavras, a carteira teórica não é um portfólio real, e sim a representação de determinados investimentos. A intenção é usar essa representação para formar um benchmark, ou seja, indicadores que serão utilizados pelos investidores.

Exemplos de carteiras teóricas

Para entender bem o conceito, nada melhor do que utilizar alguns exemplos, não é mesmo? Então, acompanhe a seguir:

Ibovespa

O Ibovespa é o principal índice de ações da bolsa brasileira. O seu principal objetivo é servir de parâmetro para o mercado acionário brasileiro.

Já a carteira teórica Ibovespa é formada de maneira que acompanhe esse índice o mais próximo possível. Logo, ela vai contemplar as ações de maior liquidez e volume financeiro negociadas na B3.

A cada quatro meses, as empresas que formam o Ibovespa são revisadas. Nesse sentido, podem acontecer mudanças nas empresas ou nas quantidades de companhias que formam o índice. A lista completa de empresas que formam o Ibovespa você pode conferir no site da B3.

SMLL

Já o SMLL é um índice focado exclusivamente em small caps, ou seja, nas empresas que possuem mais de US$ 300 milhões e menos de US$ 2 bilhões em valor de mercado.

Essas empresas não possuem a tradição das blue chips, e a liquidez de suas ações também é bem menor do que a das gigantes da bolsa. Porém possuem elevado potencial de rentabilidade e, consequentemente, mais risco do que empresas mais capitalizadas.

IBrX

Por sua vez, o IBrX é um índice menos conhecido do que os dois anteriores, mas igualmente importante para a bolsa brasileira. Também conhecido como Índice Brasil, ele mostra o valor médio das cotações das ações mais negociadas e representativas da B3.

Nesse sentido, ele pode ser de dois tipos:

- o IBrX 50, que mede as 50 ações mais negociadas;

- o IBrX 100, que mede as 100 ações mais negociadas na bolsa brasileira. 

E como utilizar uma carteira teórica?

Com a carteira teórica, você pode acompanhar o desempenho do mercado (como no caso do Ibovespa), ou de um setor em específico (como o SMLL, por exemplo). Isso serve para lhe ajudar na compra de ações e, também, para avaliar a rentabilidade da sua própria carteira.

Como vimos, essas carteiras não são reais, e sim representações de ativos. Logo, não dá para investir nelas. Mas é possível investir em ativos que compõem carteiras teóricas, como fundos de índices, contratos futuros e, até mesmo, ETFs.

Os Exchange Traded Funds (ETFs) são alternativas boas e acessíveis para diversificar a carteira. Clique abaixo e conheça quatro ETFs que replicam o Ibovespa.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo