À prova de fogo

Momento decisivo para criptomoedas

evento online e gratuito 4 a 7 de Julho às 19h

Inscreva-se

Como analisar uma ação: 4 dicas

Analisar uma ação não é uma tarefa tão simples como parece.

Exige um certo tempo e um conhecimento do ativo para colocá-lo em sua carteira.

Mas existem vários fatores que contribuem no momento de analisar uma empresa e encontrar quais são as vantagens e desvantagens de investir nela.

Por isso, esse artigo vai separar elementos fundamentais que vão te ajudar demais na hora de escolher e analisar um ativo, que são:

  1. Valor
  2. Market share
  3. Risco
  4. Lucro

1. Valor

O fator valor é muito mais relevante do que o fator preço.

Sim, existe uma grande diferença entre eles.

O preço é apenas o número pelo qual o papel está sendo negociado no momento.

Já o valor é algo que está implícito, que está “escondido”.

Em alguns momentos durante o tempo, o valor de certas ações pode ser considerado caro ou barato, independente do preço que estão sendo cotadas.

Um exemplo disso foi a própria crise de 2020, causada pela COVID-19, que fez com que as bolsas derretessem durante um grande período.

Isso gerou a oportunidade de comprar empresas excelentes a um preço considerado barato, pois o valor delas é maior do que o preço da cotação atual.

O mesmo serve para empresas que estão sendo cotadas muito acima do seu valor real.

Na maioria das vezes isso acontece por algum entusiasmo dos investidores com relação a alguma empresa.

Isso pode ser um grande risco, pois o preço elevado tende a ser corrigido para o valor verdadeiro da empresa.

É de extrema importância salientar que encontrar essa diferença de valor e preço e aplicar na prática é algo que envolve muita análise, tanto do mercado quanto das empresas.

2. Market share

Um dos principais fatores no momento de analisar uma ação é o market share (tamanho de mercado) da empresa.

Isso porque o tamanho de mercado de uma empresa é uma das principais vantagens competitivas que ela pode ter.

Portanto, ao analisar uma empresa e o seu setor, é nesse momento que você deve enxergar qual a porcentagem desse setor que pertence a empresa estudada.

Por exemplo, a Ambev possui cerca de 60% do mercado cervejeiro do Brasil.

Portanto, ela tem muita vantagem sobre seus concorrentes.

Isso gera a oportunidade da empresa investir em inovação, qualidade, experiência, crescimento, tecnologia etc, ao mesmo tempo em que ela continua com um resultado perene.

3. Risco

O risco é um dos fatores mais importantes na hora de analisar um ativo.

Existem empresas que possuem um risco envolvido maior (small caps), mas com uma possibilidade de retorno muito maior.

São as empresas que abriram capital a menos tempo e como reinvestem grande parte do lucro para crescer, não costumam distribuir dividendos.

Por outro lado, existem empresas com um risco bem menor (blue chips), que já possuem um tamanho bem relevante e por isso não possuem tanta expectativa de crescimento.

Mas por outro lado, são excelentes pagadoras de dividendos.

A grande sacada aqui, é saber diversificar bem e ter uma carteira bem equilibrada quanto ao fator risco/retorno.

4. Lucro

A lucratividade de uma empresa é o fator mais importante a ser analisado.

Existem negócios que são lucrativos e negócios que não são lucrativos.

Mas cabe ao investidor observar se a empresa vem apresentando lucros no mínimo nos últimos 5 anos.

Afinal de contas, não adianta ter uma boa marca, milhares de investidores, excelentes indicadores, ser bem falada, ter bons gestores, ter um bom serviço etc.

Nada disso importa se o negócio em si não for lucrativo.

O lucro é a base de todos os investimentos e vai ser o que vai te separar do sucesso, do fracasso ou da mediocridade nos investimentos.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo