Como funciona crowdfunding como modalidade de investimento?

Algumas das grandes valorizações da bolsa de valores que fizeram muitos investidores terem seu patrimônio aumentado diversas vezes provém do investimento em small caps as “pequenas” empresas da bolsa. Porém, ainda que consideradas como pequenas, essas empresas já valiam milhões de reais quando abriram capital e propiciaram o investimento que enriqueceu seus acionistas. 

Existem porém outras formas de investir em empresas em crescimento e obter retornos, uma dessas formas se dá através do equity crowdfunding ou investment-based crowdfunding termos que são usados para definir o crowdfunding como forma de investimento.

O que é crowdfunding ?

O crowdfundingé uma forma de financiamento coletivo que é quando várias pessoas que se conhecem ou não aportam dinheiro em uma ideia ou projeto. Esse conceito deriva um pouco da ideia da tradicional “vaquinha” mas acabou evoluindo com os meios digitais propiciando que o investimento seja realizado por até milhares de pessoas.

No crowdfunding um grupo de pessoas colaboram com recursos para financiar uma causa, isso pode ocorrer como uma doação - que geralmente é para ONGs ou para pessoas ou animais em vulnerabilidade, aqui a intenção é ajudar gratuitamente. 

Porém existe também uma forma de crowdfunding baseada em recompensas que é mais associada ao financiamento de produtos ou projetos em que o colaborador possui um interesse específico - como adquirir o objeto da doação por exemplo.

Existe ainda o crowdfunding que é o objeto deste artigo, o investment-based crowdfunding ou equity crowdfunding .

O que é o crowdfunding como investimento?

O crowdfunding como investimento é a modalidade de financiamento coletivo em que o colaborador aporta uma quantia em uma empresa - geralmente em crescimento ou startup - porém neste tipo de financiamento o investidor recebe uma recompensa pela colaboração.

Como o acesso a crédito para pequenas empresas é no mínimo complexo, o crowdfunding como investimento surge como uma opção de arrecadar dinheiro através de muitos financiadores de uma forma diferente.

Essa modalidade é conhecida por diversos nomes como: 

  • investment-based crowdfunding 
  • equity crowdfunding
  • Investimento coletivo/participativo/colaborativo

Porém, apesar dos dois primeiros possuírem certa especificidade pode-se usar de forma genérica para se caracterizar o crowdfunding como investimento. 

No crowdfunding como investimento o colaborador recebe uma recompensa por sua participação no financiamento que pode ser concedida através de contratos de títulos de diversos tipos e condições mas que em geral oferecem participação no negócio - por isso são conhecidos como equity crowdfunding, mas também podem ser oferecidos como outras formas de valores mobiliários daí o termo investment-based crowdfunding.

Como funciona o crowdfunding como investimento?

Os principais beneficiários de crowdfunding de investimento são startups da área de tecnologia ou de produtos inovadores, pois é mais complicado para empresas menores ou com produtos que os credores tradicionais não compreendem o modelo de negócio bem liberarem os montantes necessários para seus projetos.

De forma resumida no crowdfunding de investimento, as empresas apresentam projetos de financiamento junto a plataformas que fazem a aproximação entre investidores e empresas, as plataformas possuem geralmente um sistema de aprovação primária do projeto e recebem certo valor em comissão para intermediar o programa de arrecadação.

Por ser considerado uma forma de investir o dinheiro do brasileiro o crowdfunding de investimento passou a ser regulado pela Comissão de Valores Mobiliários em 2017 pelo normativo a Instrução CVM nº 588 de forma que não é qualquer empresa que pode ter acesso a essa modalidade de financiamento, vamos compreender.

Quais empresas podem participar de crowdfunding de investimentos?

O foco do financiamento coletivo é no desenvolvimento de pequenas empresas inovadoras que estão em fase de crescimento. Segundo a regulação da CVM, somente empresas societárias de pequeno porte (constituídas no Brasil e com até R$ 10 milhões de reais de receita bruta anual no período anterior a oferta) e que não estejam registradas como emissoras de valores mobiliários na CVM podem participar de financiamentos colaborativos.

Qualquer investidor pode aportar em um financiamento coletivo?

Qualquer investidor tem o direito de investir em um crowdfunding como investimento, porém, o limite de aporte é de até R$ 10 mil reais por ano-calendário para quem não for investidor qualificado.

Crescimento do crowdfunding como investimento

As rodadas de investimentos via financiamento coletivo aumentam a cada ano mostrando a força desse processo para pequenas empresas inovadoras. As plataformas de crowdfunding se consolidam cada vez mais como boas opções para investidores e empresas.

Segundo dados da Associação Brasileira de Fintechs e divulgados pelo Estadão a captação no Brasil aumenta a cada ano tendo sido realizadas 103 rodadas em 2019 e sendo arrecadados mais de R$ 87 milhões de reais. Até o primeiro semestre de 2020 esse montante era de cerca de R$ 57 milhões em 61 rodadas.

Cuidados do investidor

Apesar de oferecer uma ótima oportunidade para investidores aportarem em startups quem deseja investir por meio de equity crowdfunding deve estar atento aos riscos. 

Neste caso como as empresas estão em fase de crescimento o prazo de retorno para o investimento tende a ser mais longo e as chances de não existir retorno podem ser reais.

O ideal é que o investidor estude bem a empresa que deseja investir no financiamento coletivo de forma a estar alinhado com seus objetivos.

Claro, é muito importante diversificar o seu patrimônio, sendo assim, esse tipo de investimento com maior risco deve representar uma parte menor do seu capital.

Conheça mais sobre o Yubb e como nós temos muito para te ajudar a investir melhor!

Se você deseja um material mais técnico, a CVMpossui um caderno com as principais informações sobre o equity crowdfunding que pode ser acessado neste link.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo