Como funciona a tributação do Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um dos tipos de investimento em renda fixa mais procurados do momento pela população brasileira.

Isso se deve por sua segurança e pela ineficácia da poupança.

Por isso é de grande importância entender como funciona a estrutura de imposto de renda do Tesouro.

Para que tudo fique mais organizado, esse artigo vai ser dividido entre os seguintes tópicos:

  • Imposto de renda 
  • IOF
  • Como declarar?

Imposto de renda

O Tesouro Direto possui a tributação do Imposto de Renda cobrada de forma regressiva. 

Isso faz com que quanto maior o período de resgate, menor será o percentual cobrado pelo IR.

O IR incide sobre os rendimentos. O custo da alíquota é contado a partir do dia da compra e é recolhido direto da fonte.

Ou seja, no momento em que a aplicação vence, o resgate antecipado é feito.

A cobrança do Imposto é feita a partir da seguinte estrutura regressiva:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • Até 360 dias: 20%
  • Até 720 dias: 17,5%
  • Acima de 720 dias: 15%.

Portanto, fica claro que quanto mais tempo for o período de investimentos, menor será o Imposto cobrado.

IOF

O IOF é outro tipo de tributação existente no Tesouro Direto.

A sigla IOF Significa Imposto sobre Operações Financeiras e é cobrado apenas em aplicações que forem resgatadas em um prazo menor do que 30 dias.

Ou seja, isso significa que um investidor que retirar sua aplicação com 20 dias, terá que pagar o IOF.

As taxas do IOF também são regressivas e reduzem dia após dia, seguindo a seguinte estrutura: 

  • No primeiro dia, são cobrados 96%.
  • No dia 15: 50%
  • Já no dia 30, a alíquota chega a 0%

Isso tem como objetivo principal estimular o investidor a manter sua aplicação pelo maior tempo possível.

Por outro, tenta desestimular o investimento de curto prazo.

Por isso, para evitar gastos e ter uma boa rentabilidade no Tesouro Direto, sua aplicação tem que ser focada no longo prazo.

Como declarar o IR do Tesouro Direto?

O processo de declaração do Imposto de Renda no Tesouro Direto é bastante simples, justamente para que os investidores consigam pagar.

Vale a pena lembrar que o Imposto é retido direto na fonte e por isso não é cobrado nada após a declaração. 

Para que fique tudo organizado para você e para não faltar nada, toda a explicação será feita por este passo a passo:

  • Busque no site da corretora a informação dos rendimentos do Tesouro, que você acumulou no ano anterior.
  • No momento da declaração, registre os títulos na seção "Bens e direitos" e no código 45.
  • Lance cada título na seção "Discriminação" informando os dados: quantidade, emissor, CNPJ e data de aplicação. 
  • Caso tenha acontecido um resgate antecipado, é necessário informar o código 06 - rendimento de aplicações financeiras, no campo "Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva".
  • Informe o CNPJ da corretora no campo "Fonte pagadora".
  • Insira o valor dos rendimentos no campo "Valor". A quantia tem que ser a mesma do informe gerado pela corretora.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo