Fundos quantitativos: como funcionam?

Os fundos quantitativos (também conhecidos como quant) operam com base em algoritmos e análises matemáticas. Ou seja, por meio da tecnologia, os gestores conseguem explorar padrões de comportamento do mercado para tentar obter maiores ganhos.

Isso porque esses fundos partem do princípio de que todo ativo possui uma média histórica de preços. Logo, independentemente das oscilações, a tendência é de esses preços se estabilizem no decorrer do tempo.

No Brasil, a gestão automatizada de fundos ainda é pouco utilizada. Porém, nos EUA, os fundos quant representam cerca de 30% do mercado de hedge funds do país.

Tipos de fundos quantitativos

Os fundos quant são classificados como multimercados, e podem ser de 3 tipos:

Sistema contínuo 

Como o nome diz, no sistema contínuo a automatização está sempre observando o mercado. 

Sistema intradiário puro 

Já esse sistema atua conforme o horário do mercado de referência do fundo. Nesse sentido, ele fecha todas as posições antes que o mercado encerre. 

Sistema intradiário contínuo 

Por fim, nesse sistema não há necessidade de fechar as posições no encerramento do mercado. Logo, as operações podem seguir a estratégia programada independentemente do encerramento das sessões. 

Vantagens dos fundos quantitativos 

Como esses fundos são baseados em padrões matemáticos, a escolha dos ativos é baseada puramente em dados estatísticos. Logo, isso exclui qualquer caráter subjetivo na decisão de sua composição. 

Além disso, os algoritmos desses fundos permitem uma velocidade de análise de dados muito superior à humana. Ou seja, a inteligência artificial consegue trabalhar os dados de forma muito mais rápida do que as equipes de gestão. 

Por fim, os fundos quant apresentam baixa correlação entre os ativos que os compõem. Isso significa que, em momentos em que outros fundos caem, eles podem subir. 

Isso acontece porque, nesses fundos, as decisões sobre a escolha dos ativos são tomadas de forma diferente dos outros. E essa baixa correlação acaba por reduzir o risco da carteira. 

Desvantagens dos fundos quantitativos 

Por outro lado, a principal desvantagem associada a esse fundo também está na utilização exclusiva da inteligência artificial. 

Isso porque esses fundos não levam em conta técnicas como análise fundamentalista e avaliação de cenários econômicos. Além disso, também não acompanham tendências de mercado, o que é importante para avaliar se a estratégia do fundo está proporcionando os resultados planejados. 

Custos dos fundos quantitativos

Basicamente, os custos desses fundos são as taxas de administração e performance e a sua tributação.

Quanto às taxas, eventualmente elas podem até ser mais altas do que a de outros fundos. Isso porque, mesmo que não tenham gestor, os quant necessitam de equipes de TI para desenvolverem os algoritmos, assim como boa estrutura tecnológica.

Em relação à tributação, os fundos quantitativos possuem o imposto de renda, o IOF e o come-cotas.

O imposto de renda obedece a tabela regressiva, que vai de 22,5% a 15% dependendo do prazo da aplicação. Já o IOF é cobrado quando o recurso fica aplicado por menos de 30 dias.

Por fim, o come-cotas refere-se a um percentual sobre a rentabilidade do fundo, e ocorre sempre nos meses de maio e novembro. Nesse sentido, ele reduz o percentual do IR que incide no momento do resgate.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo