Fundo de investimento versus renda fixa: qual é o melhor?

Fazer uma comparação entre investimentos nunca é uma tarefa fácil, ainda mais se tratando de fundos de investimento e renda fixa. É preciso entender como funciona cada um deles, principalmente, em questão de risco e rendimento.

Fundo de investimento

Os fundos de investimento são, em essência, um conveniente serviço de seleção de ativos e gestão de uma carteira de investimentos segundo critérios definidos previamente em seu regulamento.

Bom negócio para quem tem disciplina para investir, mas não tem tempo ou conhecimento para selecionar e aprender sobre investimentos.

Funcionam como uma espécie de condomínio, em que os proprietários - chamados de cotistas - que adquirem cotas desse condomínio confiam ao gestor as decisões sobre o que comprar, quando comprar e vender.

Pelo serviço prestado pelo gestor, pagam uma taxa de administração e, em alguns casos, uma taxa de desempenho obtido acima da meta, chamada de taxa de performance.

A taxa de administração é expressa em um percentual anual, e será descontada do patrimônio líquido do fundo, não do rendimento. Isso significa que você pagará a taxa para o seu administrador mesmo que o fundo venha a ter prejuízo.

O risco do fundo limita-se ao risco da carteira em que ele investe os recursos de seus cotistas. Se o gestor seleciona papéis ruins para a carteira do fundo, a rentabilidade pode estar comprometida no longo prazo.

Daí a importância de, independentemente da instituição na qual investe ou do perfil do fundo, o investidor analisar de tempos em tempos a composição da carteira da qual possui cotas.

Havendo dúvidas, é o caso de solicitar esclarecimentos à instituição que distribui o fundo, sendo obrigação dessa instituição manter o investidor informado sobre os riscos e a estratégia de investimento de seu fundo.

Renda fixa

Já a renda fixa, nada mais é do que um empréstimo do investidor para uma instituição financeira privada ou para o próprio Estado (títulos públicos). Em troca deste empréstimo, espera-se uma remuneração de volta, que é o rendimento, no qual fica claro logo no momento da compra.

É a modalidade de investimento mais procurada pelos investidores que procuram rendimentos mais estáveis e seguros. Contudo, é um tipo de investimento que, na maioria dos casos, depende muito de como anda a taxa básica de juros da economia (taxa Selic).

Diversos tipo de renda fixa acompanham a taxa Selic, em questão de rendimentos, ou seja, quando os juros estão altos, investir em renda fixa se torna muito atrativo, devido a segurança e retorno.

Porém, quando os juros estão baixos, a renda fixa se torna bem menos atrativa, podendo perder rendimento até para a inflação, fazendo com que os investidores migrem para os mais diversos tipos de investimentos.

Qual é melhor?

Fazendo uma comparação entre a renda fixa e fundos especificamente de renda fixa, existem situações em que os fundos se mostram como alternativa matematicamente mais eficiente do que o investimento direto em títulos.

Nos fundos de renda fixa, por exemplo, se seu patrimônio permitir o acesso àqueles que cobrem menos que 0,5% ao ano de taxa de administração, provavelmente, seu dinheiro renderá mais e com melhor estratégia do que se dependesse de suas escolhas via Tesouro Direto, sujeitas a corretagem e custódia.

Mas essa é uma decisão completamente individual de cada investidor.

Importante: atente-se às taxas! Nada de pagar altas taxas para fundos de renda fixa. Se não, é melhor investir sozinho.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo