Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP): o que é e como funciona?

A Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP) é uma alternativa para quem precisa tomar algum dinheiro emprestado e não pode (ou não deseja) recorrer a instituições financeiras. Neste artigo, entenda como isso funciona!

O que é uma Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP)?

Não é raro surgirem imprevistos financeiros, não é mesmo? Pode ser o conserto do carro, algum gasto com saúde ou outro tipo de urgência que nos fará gastar além do orçamento. Quando não se tem um fundo de emergência, a alternativa é recorrer a algum empréstimo para atender a essas necessidades.

No entanto, por diversos motivos, algumas pessoas não têm acesso a crédito bancário. Outras, embora tenham limites aprovados, preferem não utilizá-los para não precisarem pagar as taxas de juros desses financiamentos.

Em ambas as situações, a alternativa acaba sendo buscar esses recursos fora das instituições financeiras. É justamente nesse momento que entra o papel da SEP.

E como isso funciona?

A SEP é um formato de sociedade legal e regulamentado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Esse tipo de sociedade tem como objetivo facilitar as transações financeiras entre pessoas físicas e jurídicas, não importando o motivo pelo qual o empréstimo está sendo realizado.

Para que esse processo fique dentro das normas estabelecidas pelo CMN, ele precisa ser intermediado por alguma fintech ou startup do setor financeiro. Além disso, para poderem oferecer esse serviço ao público, essas empresas precisam ser autorizadas pelo Banco Central.

Clique aqui, e entenda como funciona uma fintech.

Como acessar empréstimos nas SEPs?

Para conseguir um empréstimo via SEP, a primeira coisa a fazer é se cadastrar na plataforma escolhida. Logo após, serão exigidos alguns documentos das pessoas físicas como RG, CPF, comprovantes de renda e residência e extrato bancário. No caso das empresas, é preciso comprovante de faturamento, contrato social e, também, o extrato bancário. Pode ser que, já nesse momento, seja solicitado o valor desejado do empréstimo.

Feito isso, começa a análise do crédito. Se aprovado, os valores e taxas também já são definidos nessa etapa.

A contratação do empréstimo se dá por um contrato digital, no qual constam todas as condições da operação. Segundo o CMN, as instituições só podem emprestar até R$ 15 mil para cada credor, seja ele pessoa física ou jurídica. Porém, se esse credor precisar de mais dinheiro, poderá procurar outra instituição, que fará toda a análise novamente para aprovação do crédito adicional.

Vantagens das SEPs

A seguir, algumas vantagens que esse tipo de sociedade trouxe para o mercado financeiro:

Maior acesso a crédito

O formato da SEP democratizou o crédito no país. Além de servirem como um socorro financeiro, permite que muitos empreendedores invistam no negócio de forma bem menos burocrática do que se tivessem que pedir um empréstimo em uma instituição financeira.

Juros mais baixos

Os recursos que a SEP empresta são de pessoas físicas. Logo, os juros cobrados nessas operações também são menores.

Alternativa de investimento

Por fim, emprestar dinheiro por meio de uma SEP pode ser uma boa forma de diversificar os investimentos, pois os juros recebidos são maiores do que os de muitas modalidades. Além disso, é uma forma de o investidor garantir uma entrada periódica de recursos, já que os empréstimos são liquidados em parcelas mensais.

Clique aqui e conheça outros investimentos para ter renda mensal.

E então? O que você achou da SEP? Dúvidas ou comentários, mande que responderemos!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo