O que é uma fintech?

Fintech é a junção entre as palavras inglesas “financial” e “technology”. Ou seja, são empresas de tecnologia que estão relacionadas a serviços financeiros. Com o crescimento da internet e dos dispositivos móveis, cada vez mais o uso de dispositivos remotos são essenciais na vida das pessoas.

Um estudo feito pela plataforma Capterra mostrou que o número de fintechs no Brasil saltou de 377 em 2018 para 504 no ano seguinte. Ou seja, um crescimento de 34% nesse setor. Essa pesquisa ainda apontou que a confiança em empresas desse tipo é bem maior do que as instituições tradicionais que atuam no mercado.

Pagar contas, fazer transferências, emitir boletos, checar saldos, realizar movimentações diversas, uma plataforma de busca de investimentos (o Yubb): nada disso era possível fazer de forma remota antes do advento das fintechs. Ou seja, hoje elas são fundamentais para o processo que agiliza as atividades que envolvem dinheiro.

Além dos bancos digitais, que já são conhecidos pela maioria das pessoas, existem também as fintechs especializadas em pagamento, crédito ou empréstimo, crowdfunding, criptomoedas, controle financeiro e investimento. Ou seja, tem uma empresa dessas em quase todas as funções.

São plataformas conectadas à internet e, por isso, seus processos são muito mais ágeis do que anteriormente em instituições financeiras. Por exemplo, a abertura de conta em um banco dessa modalidade pode ser feita em alguns minutos - diferentemente das instituições tradicionais que exigem presença em horário determinado e outros prazos para cadastro.

Quais as semelhanças e diferenças entre fintech e startup?

As startups são definidas pelo seu caráter inovador, com modelo escalável e de baixo custo operacional. Não necessariamente estão ligadas ao setor financeiro e podem agregar serviços de quaisquer áreas de produtos.

Ou seja, do ponto de vista conceitual, as fintechs também possuem essas características. Em especial, quanto às tecnologias que estão altamente relacionadas às inovações. Com o advento dessa modalidade, muitos processos financeiros foram desburocratizados.

No entanto, as startups são empresas que se encontram na fase inicial de seu desenvolvimento e podem oferecer serviços em várias áreas da economia. Já as fintechs não são necessariamente instituições iniciantes e seus produtos sempre estão atrelados aos setores econômicos.

Portanto, uma fintech pode ser uma startup, mas nem toda startup é uma fintech. Por exemplo, o Yubb é uma startup e fintech ao mesmo tempo, pois é uma empresa em fase inicial de desenvolvimento, com modelo financeiro escalável e serviços de inovação e tecnologia voltados ao mercado.

Quais as vantagens das fintechs?

A usabilidade é a principal vantagem oferecida pelas fintechs. A maioria delas possui interface em aplicativos de celular ou por sites. Com isso, todos os serviços oferecidos são controlados de maneira remota, oferecendo mais conforto e otimizando o tempo.

Para oferecer esse atendimento, o grande foco nos investimentos dessas empresas é em tecnologia. Para isso, suas plataformas são pensadas na melhor experiência para o cliente. Isso significa menos burocracia e menos dificuldades para resolução de problemas.

Além disso, o mercado das fintechs busca mais especialização e, consequentemente, consegue oferecer serviços mais eficazes. Muitas das vezes, essas plataformas resolvem problemas que nunca antes foram resolvidos.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo