O que é uma holding? Entenda esse tipo de empresa

Se você acompanha o mercado acionário, ou mesmo notícias sobre empresas, já deve ter ouvido a palavra holding.

O termo holding significa “controlar” ou “guardar” e é utilizado para denominar empresas que atuam justamente no controle de outras companhias. A princípio, isso pode soar estranho, afinal, qual o propósito de uma empresa exercer influência em outra?

Pois saiba que as holdings desempenham papel importante na gestão de diversos negócios, conforme veremos a seguir.

O que é uma holding?

Uma holding é uma empresa criada com o objetivo específico de controlar determinados agentes. Não se trata de um tipo societário (como Sociedade Limitada ou S/A, por exemplo), mas sim de uma empresa criada de acordo com as atividades que constam no seu contrato social.

Em outras palavras, não existe um tipo societário chamado holding. O que vai caracterizar essas empresas é o seu setor de atuação, e não a distribuição de participações ou responsabilidades dos sócios.

Na maioria das vezes, quando existe uma holding em um grupo empresarial, ela é quem detém a participação majoritária em uma ou mais empresas do grupo. Isso ocorre por diversos motivos, os quais veremos na sequência.

Tipos de holding

Nesse conteúdo, daremos foco à holding empresarial. Porém, é importante que você conheça os principais tipos de holdings. Acompanhe!

Pura

Esse tipo de holding tem o único objetivo de participar no capital de outras empresas. Ou seja, ela não exerce nenhum tipo de atividade empresarial.

Mista

Já a holding mista é formada com o intuito de participar do capital de outras companhias e, também, exercer alguma atividade empresarial.

Administrativa

A holding administrativa é criada para facilitar e otimizar a gestão de uma empresa. O seu objetivo é fornecer uma administração profissional, pois todas as decisões sobre o negócio são tomadas por ela.

Controle

Essas holdings são criadas especificamente para ter o controle societário de uma ou mais empresas de um mesmo grupo.

Participação

Diferentemente do modelo anterior, uma holding de participação visa deter participações minoritárias em outras empresas.

Patrimonial

Esse tipo de holding não é voltado a negócios, mas sim a bens patrimoniais no caso de herança. Para facilitar o processo sucessório familiar, o detentor do patrimônio transfere seus bens para essa holding. Essa é uma eficiente forma de planejamento patrimonial.

Familiar

Basicamente, essa holding controla o patrimônio de pessoas da mesma família.

Exemplo de holding empresarial

Vamos tomar como exemplo uma holding bastante conhecida por investidores em ações: a Itaúsa. Essa holding foi criada logo após a fusão entre Itaú e Unibanco e, além do banco, controla todas as demais empresas do grupo, como Alpargatas, Dexco, Duratex, Copagaz, entre outras.

A Itaúsa é do tipo holding pura, ou seja, somente exerce a gestão das empresas do conglomerado, sem nenhum tipo de atividade operacional. Trata-se de uma companhia que investe em diversos segmentos de mercado, inclusive com operações em outros países.

Outro exemplo clássico é a Berkshire Hathaway, a holding do megainvestidor Warren Buffett. A Berkshire possui participação em mais de 50 empresas, entre elas Coca-Cola, Apple e American Express.

Leia também:Berkshire Hathaway: tudo sobre essa empresa

Quais as vantagens de criar uma holding patrimonial?

Existem diversos benefícios em criar uma holding. A seguir, listamos alguns dos principais:

Facilita a gestão da empresa

As empresas controladas pela holding são as subsidiárias. Nesse modelo, o gestor de cada subsidiária tem autonomia para fazer a gestão das atividades rotineiras. Ou seja, a empresa mãe não precisa diretamente no dia a dia das subsidiárias, e pode somente supervisioná-las. Dessa forma, fica livre para traçar as estratégias do negócio.

Contribui para a redução de custos

Como a holding empresarial representa todas as suas subsidiárias, ela pode operar em larga escala. Isso significa que, em negociações comerciais, ela consegue obter descontos e condições diferenciadas quando o volume de compras é grande.

Reduz conflitos de gestão

Em muitos grupos empresariais familiares ocorrem conflitos de gestão. Quando existe uma holding empresarial, consegue-se mitigar esses desentendimentos, pois a gestão do negócio passa a ser mais profissional e menos personalizada. Isso contribui para a saúde das empresas e para a confiança dos investidores de forma geral.

Fortalecimento do grupo empresarial

Em última instância, todos os benefícios anteriores fortalecem o grupo empresarial. Com uma holding, fica mais fácil demonstrar ao mercado o desempenho de cada uma das empresas do grupo, e isso é essencial para os acionistas e potenciais investidores.

Facilita novos investimentos do grupo

Tomemos novamente os exemplos da Itaúsa e Berkshire Hathaway. Quando um grupo empresarial decide investir em diferentes segmentos, a melhor forma de fazer isso é por meio de uma holding. Como vimos, essa holding pode deter o controle das empresas ou simplesmente uma participação minoritária em diferentes negócios. Tudo isso contribui para a diversificação do portfólio e abre novas frentes para a rentabilidade do grupo empresarial.

Conclusão

Quando as empresas de um grupo atuam em diferentes setores e realizam operações em grande escala, uma holding empresarial facilita muito essas operações. No entanto, existem diversos aspectos legais a serem observados para a criação de holdings. Como essas empresas geram consideráveis economias tributárias e atuam em diversos segmentos, costumam ser bastante fiscalizadas por órgãos reguladores. Por isso, é preciso um aprofundado estudo legal, contábil e tributário para avaliar a sua viabilidade.

Se você ficou com dúvidas, ou quiser saber mais sobre o tema, deixe seus comentários abaixo!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo