RSI: o que é e como analisar?

O RSI é um dos indicadores mais utilizados na análise técnica. Ele foi desenvolvido no final dos anos 70 por J. Welles Wilder Jr., engenheiro mecânico e analista técnico norte-americano.

A princípio, o RSI era utilizado somente na análise de ações. Com o passar do tempo, o indicador passou a ser uma ferramenta importante também na análise de outros ativos financeiros, inclusive criptoativos.

A seguir, saiba o que é e entenda como utilizar esse indicador.

O que é RSI?

Traduzida do inglês, a sigla significa Índice de Força Relativa (ou IFR). O índice serve para auxiliar a prever oscilações de curto prazo nos ativos financeiros.

Na prática, os traders utilizam o indicador para decidir os melhores momentos de entrar ou sair de um investimento. Isso porque o RSI ajuda a identificar quando os mercados estão sobrecomprados ou sobrevendidos, pois o foco do indicador é mostrar o quanto um ativo ainda tem de fôlego de alta ou baixa antes de uma reversão.

Cálculo do RSI

A fórmula do RSI é a seguinte:

(fonte: Coinext)

Onde:

U = média dos movimentos de alta em relação a determinado período (somatório dos dias de alta dividido pelo número de dias do período analisado). Na prática, costuma-se adotar o intervalo de 14 dias, pois foi esse o prazo inicialmente estipulado por Wilder na fórmula original. Porém, pode-se trabalhar com períodos diferentes.

D = cotação dos dias de queda, que também é dividida pelo período.

Para o cálculo do RSI, é considerada uma escala de zero a 100. Nesse sentido, a sua interpretação tradicional prevê que, se o ativo supera o valor de 70, ele está sobrevalorizado, ou seja, o mercado está sobrecomprado. Isso significa que, a qualquer momento, o movimento de alta pode perder força e o ativo entrar em correção.

Por outro lado, quando o índice é inferior a 30, o ativo em questão está subvalorizado, e o mercado está sobrevendido. Ou seja, a qualquer momento, a queda pode atingir um nível de suporte e, daí, ocorre a reversão.

É importante observar que os valores mínimos e máximos, de 30 e 70, são os utilizados originalmente na fórmula. Isso não significa que eles sejam sempre fixos, pois o próprio analista pode determinar esses valores (20/80, 25/85, e assim por diante).

Como identificar o indicador no gráfico

Além de conhecer o conceito do RSI, para utilizá-lo adequadamente é preciso saber identificá-lo no gráfico.

Perceba que, no gráfico abaixo, o indicador é uma linha entre dois extremos:

(fonte: Finanmark)

Wilder, criador do índice, aborda o conceito no livro New Concept in Technical Trading Systems (ou Novo Conceito em Sistemas de Técnicas de Negociação), publicado em 1978.

O engenheiro também é responsável pela criação de outros índices utilizados na análise técnica. Entre eles, estão o Índice de Movimento Direcional (DMI), o Índice de Giro, o SAR Parabólico e vários outros.

Leia também:Quais são os principais indicadores de volatilidade? - Artigos - Yubb

Como identificar sinais de compra e venda com o RSI?

Agora que já vimos o que é e como funciona o indicador, é hora de saber como ele pode ser utilizado na identificação dos sinais do mercado.

Existem dois conceitos fundamentais a serem conhecidos quando se utiliza o RSI, que são convergência e divergência. Esses conceitos definem uma relação entre tendências, preços ou indicadores, por exemplo.

A convergência acontece quando as oscilações (altos e baixos) do RSI se movem na mesma direção da tendência. Nesse caso, pode-se dizer que há uma tendencia veloz e forte.

No caso da divergência, ocorre exatamente o contrário. Ou seja, as oscilações do indicador e a tendência se movimentam em direções opostas. Nessa situação, há uma tendência mais lenta e fraca.

Dito isso, podemos agora ver como funcionam os sinais de compra e venda do RSI.

Sinais de compra

Quando o RSI cai abaixo de 30% e retorna, isso é visto como um sinal de alta de sobrevenda. Nesse caso, o mercado entende que uma nova tendência de alta está se formando e, por isso, os traders começam a comprar.

Outro sinal de reversão de tendência é a divergência de alta. Nessa situação, preço e RSI tomam direções diferentes, ou seja, o preço atinge um mínimo mais baixo e o indicador mostra um mínimo mais alto.

De acordo com a quantidade de vezes que esse comportamento se repete, pode-se estimar a força com a qual o sinal é formado. Quando há sinais de divergência de alta (ou positiva), pode ser um indicativo de que há chances para ganhos de curto prazo. Se, junto disso, há indicativo para sobrevenda, pode ser um bom momento para ordens de compra.

Sinais de venda

Aqui, basta fazer o raciocínio contrário. Ou seja, quando há sinal de sobrecompra de baixa, isso significa que está prestes a ocorrer uma reversão de tendência.

O trader consegue identificar isso quando o RSI supera os 70% e retorna ao ponto abaixo dessa marca. Nesse caso, os traders que estão “comprados” podem fechar suas posições para garantir lucros e realizar a venda. Já para quem não tem posições abertas, esse pode ser um bom momento para ficar “vendido”.

O sinal de divergência de baixa também pode ser um indicativo para venda. Diferentemente da divergência de alta, isso ocorre quando o RSI sobe menos do que o preço do ativo. Aqui também, quanto mais isso se repetir, mais forte tende a ser o próximo sinal de baixa.

A divergência de baixa (ou negativa) indica que preços dos ativos analisados tendem a cair no curto prazo. Para saber quando vender, analistas sugerem que esse sinal seja combinado com os sinais de sobrecompra do mercado.

Considerações finais

O RSI é um indicador muito eficiente para confirmar tendências (quando se move perto dos 50%) ou para indicar sobrecompra (próximo dos 70%) ou sobrevenda (próximo dos 30%). No entanto, assim como qualquer outro indicador, ele não deve ser utilizado separadamente, mas sempre em conjunto com outros índices.

Se você gosta da análise técnica e deseja saber mais sobre outros indicadores, dê uma olhada nos links abaixo!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo