Por que os juros compostos afetam seus investimentos?

Antes de responder e esclarecer a pergunta, vamos entender o que são juros compostos. Alerta de spoiler: é um termo matemático genial, que afeta de maneira esplêndida os resultados dos investimentos. 

Os juros compostos são a aplicação de juros sobre juros. Mas, o que isso quer dizer? Basicamente, quando aplicamos uma quantia de dinheiro sobre uma taxa de juros, estamos deixando que o mesmo trabalhe por si só, fazendo render mais e mais, primeiramente sobre o valor inicial, segunda e indeterminadamente sobre o valor mais o rendimento. 

Anteriormente foi dito basicamente que, o trabalho com juros compostos é resultado de uma aplicação, a qual, os juros resultantes do mês são adicionados ao capital, a fim de ser esse montante o novo valor a ser usado (capital + juros).

Em uma linguagem técnica, juros compostos resultam de uma conta matemática em que a taxa é aplicada ao tempo em exponencial, posteriormente multiplicado pelo valor do capital, resultando em um montante. O cálculo é sempre sobre o exercício anterior.

Como calcular juros compostos? 

Há uma fórmula para o cálculo de juros compostos: FV = PV x (1+i)n. Como se lê: montante (valor futuro) é igual ao capital (valor presente) multiplicado a um mais a taxa de juros elevado ao tempo.

FV (future value, em português → valor futuro): ele é o montante, ou seja, o valor final da transação.

PV (present value, em português → valor presente, ou inicial): ele é o capital, ou seja, o valor inicial da negociação.

i (interest): Taxa de juros, é a porcentagem cobrada em cima do capital, essa taxa é aplicada temporariamente, podendo ser ao dia, ao mês, ao bimestre, ao ano, etc. Para fazer o cálculo é necessário utilizar essa taxa na sua forma decimal.

n (Number of Compouding Periods): é o tempo em que o capital ficará aplicado. É muito importante que o tempo esteja na mesma unidade de medida da taxa de juros.

É importante saber manipular as informação a favor de quem as usam. Viabiliza saber que: 

J = FV - PV (juros é igual ao montante menos o capital). Essa expressão matemática, tirada ao isolar o “J” (juros) é importante quando temos alguma incógnita que queiramos saber.

Exemplo de aplicação da fórmula:

Suponha que um capital de R$1,7 mil foi aplicado a juros compostos em um fundo de investimentos que rende 8% ao ano. Qual será o montante após 24 meses?

Observações importantes: note que as unidades de tempo não estão em equivalência, portanto é necessário que estejam. Como o investimento rende X% ao ano, o tempo deverá ser usado em anos, portanto, 24 meses é igual a dois anos.

Dados que serão utilizados: PV (capital): R$ 1,7 mil; i (taxa de juros): 8% = 0,08 (em decimal); n (tempo): dois anos.

Substituindo na fórmula: FV = 1700 (1+ 0,08)²

1700 (1,1664) = R$ 1.982,88.

Dessa forma, o montante da aplicação, depois de dois anos é de R$1.982,88, resultando em um juros de R$ 282,88.

Ficou um pouco confuso em como calcular usando juros compostos? Temos um artigo sobre Juros compostos: o que é e como calcular, e que ainda te ensina como usar a calculadora financeira HP12C, clique aqui para conferir.

A atualização do capital 

Como vimos anteriormente, juros compostos são muito importantes nos investimentos, mas como eles os afetam?

Já se percebe que a taxa de juros tem relação diretamente proporcional com o tempo, quanto mais tempo se passa, maior ela fica. Dessa forma, quando for investir, sempre tenha em mente a viabilidade do tempo de aplicação, pois as taxas de juros e as condições para aplicação e resgate costumam variar para cada investimento.

Quando você aplica seu capital em investimentos de juros compostos, basicamente você deixa o seu dinheiro trabalhando por você. Como dito anteriormente, são juros sobre juros.

Investindo com juros compostos

No longo prazo, os efeitos dos juros compostos afetam muito a rentabilidade dos seus investimentos. Vejamos um exemplo:

Marcos, aos seus 30 anos de idade resolveu investir R$ 100 mil a 0,8% de juros ao mês.

Janaina, também resolveu investir o mesmo valor, com a mesma taxa de juros, quando tinha 45 anos de idade.

Ambos consideram a retirada desse dinheiro com 65 anos de idade. Segue com a gente para ver como a diferença desses montantes será significativa. 

Marcos, que investiu aos 30 anos, terá 35 anos pela frente para rentabilizar seu dinheiro, já, Janaina, terá 20; logo, quando ocorrer a retirada, teremos o seguinte valor: 

Marcos R$ 2.840.688,00

Janaina R$ 676.905,00

Temos uma diferença de R$2.163.783,00. Agora deu para entender como os juros compostos afetam nossos investimentos? Tudo depende do tempo em que em que deixamos os juros trabalharem sobre eles. 

Está esperando o que para investir e fazer seu dinheiro render? Saiba que não é necessário ser dono de uma fortuna para começar, confira esse outro artigo que preparamos para você: Quanto dinheiro preciso ter para começar a investir?

E aí, Yubber, ficou claro como os juros compostos afetam nos investimentos? Que tal dar tempo ao tempo e deixar os juros fazerem a sua gloriosa função?!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo