NFT: o que é e como investir?

Além das criptomoedas, existem outros ativos digitais que também utilizam a tecnologia blockchain. Estamos falando dos NFTs, sigla para “Non-Fungible Token” (ou “token não-fungível'', na tradução literal).

Esse ativo tem despertado a curiosidade e o interesse de milhões de investidores pelo mundo, adeptos à tecnologia. A seguir, explicaremos o que é e como funciona o NFT. Continue a leitura e confira!

O que é NFT?

Para entender o que é NFT, primeiro precisamos saber o conceito de um bem “fungível”, certo?

Um bem é considerado fungível quando ele não é exclusivo, e conseguimos trocá-lo por um determinado valor. Nesse sentido, uma nota de 100 reais, uma barra de ouro ou uma criptomoeda (como bitcoin e ethereum), por exemplo, são bens fungíveis. Ou seja, eles têm um valor determinado, o que faz com que você consiga trocá-los por outros da sua espécie e pelo mesmo valor, certo?

Por outro lado, quando falamos em obras de arte, por exemplo, não conseguimos encontrar uma igual a outra. Esse é um dos melhores exemplos de bens não-fungíveis. Em outras palavras, mesmo que você encontre duas esculturas de mesmo valor, por exemplo, elas serão infungíveis, pois são diferentes entre si.

Agora que já sabemos o que é fungibilidade, podemos entender como funciona o NFT.

E como aplicar esse conceito no mundo digital?

Alguns exemplos ajudam a entender o papel do NFT e por que ele está chamando tanta atenção no mundo digital.

Se você utiliza o Facebook ou o Instagram, certamente costuma postar fotos suas, com amigos ou até mesmo selfies, certo? Agora imagine que você é uma celebridade, e não quer expor suas fotos gratuitamente nas redes. Em vez disso, você utiliza um NFT para garantir a propriedade do original de sua foto. Ao fazer isso, você está garantindo os direitos sobre as fotos que escolheu para associar ao token.

Mas por que isso está chamando tanta atenção no mundo digital?

Pense agora em artistas que expõem seus trabalhos somente no meio digital. Ou em intelectuais renomados que também publicam as suas obras nesses meios. O NFT serve justamente para você adquirir trabalhos como esses.

Exemplos

Vejamos agora alguns exemplos reais.

Em março de 2020, o fundador e presidente do Twitter, Jack Dorsey, vendeu o seu primeiro tweet por US$ 2,9 milhões. O dinheiro da venda foi doado, e a transação foi realizada por meio de um Non-Fungible Token. Pode parecer excentricidade pagar tanto por um tweet, mas, para os aficionados em tecnologia, não dá para negar que o primeiro tweet do fundador do aplicativo tenha valor histórico, não é mesmo?

Outro exemplo são compositores de músicas, que também estão utilizando o NFT para comercializar os seus trabalhos. O recurso permite a negociação direta entre esses artistas e o seu público, sem a necessidade de intermediários, como a plataforma Spotify. Isso promove a descentralização cultural, e faz com que as negociações sejam financeiramente mais interessantes para os artistas.

Vantagens para o comprador do NFT

O NFT concede ao comprador um certificado de propriedade sobre o bem que ele adquiriu. Normalmente, quem compra um NTF é motivado pela exclusividade ou escassez do bem e, por isso, a proteção se faz necessária.

Além disso, há também a possibilidade de o comprador do NFT vendê-lo com lucro em algum momento, dependendo da valorização do bem.

Se você se interessa por tecnologia e investimentos digitais, dê uma olhada nos artigos abaixo!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo