Quais tipos de criptomoedas existem?

As criptomoedas são ativos virtuais que utilizam mecanismo de criptografia para garantia das operações. São moedas digitais que não existem em papel, mas que representam valores financeiros e, por isso, podem ser usadas para efetuar transações.

É uma forma relativamente recente onde o dinheiro é totalmente eletrônico e seu controle não é feito por instituições bancárias ou governos. Quem garante essas operações são os sistemas inteligentes de criptografia.

Outra diferença entre a moeda tradicional é que as criptomoedas são cotadas 24 horas por dias e não possuem horário de abertura ou fechamento para negociações. Ou seja, a cotação acontece a cada segundo.

Essa é uma grande vantagem para quem não deseja esperar dias úteis para realizar operações financeiras. Por outro lado, a volatilidade desse mercado é muito maior.

Além de valor financeiro, as criptomoedas carregam consigo muita tecnologia, velocidade e segurança. Isso porque as transações são confirmadas e garantidas virtualmente por um sistema chamado de blockchain.

Criado em 2008, a primeira criptomoeda bem sucedida foi o Bitcoin. Surgiu com o objetivo de efetuar pagamentos de maneira mais rápida, segura e barata. Além disso, por meio de um processo transparente e centralizado na tecnologia, sem a interferência de governos ou outras instituições. Da criação do Bitcoin pra cá, surgiram muitas outras - fala-se num número em torno de 5 mil moedas. Aqui listamos algumas delas:

1. Bitcoin

O Bitcoin é a primeira criptomoeda e, por isso, a mais famosa de todas. Seu valor de mercado é significativamente maior do que todas as outras criptomoedas.

As transações feitas por essa moeda são catalogadas num livro-razão, em que suas informações são públicas e isso possibilita que as transações sejam verificadas pelos compradores e vendedores.

Tudo é feito de forma 100% virtual sem a presença de órgãos reguladores tradicionais. Quem valida o sistema são os próprios usuários.

2. Ethereum

Ethereum é uma outra criptomoeda que opera contratos inteligentes. Funcionam mais ou menos na mesma lógica dos bitcoins, mas aqui a plataforma é descentralizada, o que torna tudo mais rápido e dificulta fraudes ou outros problemas.

3. Tether

Numa tentativa de equiparar ao dólar, o Tether é a terceira criptomoeda mais usada. Chamada também de “moeda estável”, monetiza e opera transações eletrônicas.

4. Ripple

A Ripple foi criada para ser usada em pagamentos. Com uma plataforma patenteada, permite efetuar essas operações utilizando qualquer moeda. Isso facilita muito o seu uso, uma vez que alguns serviços digitais só permitem o uso das tradicionais moedas.

Com essa possibilidade, aumenta a velocidade das transações e reduz os custos operacionais. Isso é ótimo não só para os investidores, mas também para as instituições financeiras. Por exemplo, o próprio banco Santander usa esse tipo de criptomoeda.

5. Litecoin

O Litecoin é uma criptomoeda que funciona de forma parecida com o Bitcoin. Menos conhecido, mas por vezes com serviços até mais eficientes e mais velozes. É a moeda digital mais recomendada para ser utilizada regularmente. 

Pelo processo de mineração, algumas criptomoedas conseguem criar outras. Enquanto o algoritmo SHA-256 do Bitcoin permite produzir 21 milhões de moedas, o Scrypt do Litecoin é capaz de gerar 84 milhões de moedas.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo