Minicontratos: o que são e como investir?

Como o próprio nome diz, os minicontratos são uma espécie de contratos futuros, criados para possibilitar ao pequeno investidor o acesso a esse mercado.

Isso porque o aporte inicial dessa modalidade é bem menor do que o exigido no caso dos contratos cheios.

Antes de mais nada, vamos entender alguns conceitos do mercado futuro. Logo após, veremos o que é necessário para operar minicontratos. Confira a seguir!

Contratos futuros e minicontratos: o que são?

Primeiramente, ambas as modalidades são espécies de derivativos. Nesse artigo, explicamos detalhadamente o que são e para que servem os derivativos. A leitura facilitará o seu entendimento sobre o mercado futuro.

Os contratos futuros são operações de compra e venda de produtos realizadas com uma data de vencimento futura. O ambiente de negociação desses contratos é a bolsa de valores.

Nos contratos futuros, tanto o comprador quanto o vendedor negociam um determinado ativo para liquidação em uma data futura. Porém o seu preço é fixado no momento da operação.

Em relação ao modo de liquidação desses contratos, pode ocorrer de forma física (com a entrega do bem) ou financeira (com o pagamento em dinheiro). No caso de futuros de dólar e índice, a quitação será financeira.

No entanto, contratos cujo ativo-alvo sejam commodities, como trigo e soja por exemplo, exigem a entrega física desses bens.

Para atender o pequeno investidor, foram criados os minicontratos. Nesse sentido, eles exigem bem menos recursos do que os contratos padrão ou cheios.

Vejamos agora os tipos de minicontratos mais operados pelos traders: o mini-índice e o mini dólar.

Minicontratos de índice

Esses minicontratos também são conhecidos pela sigla WIN. Sua origem vem do índice Bovespa (Ibovespa), ou seja, eles refletem a expectativa de desempenho sobre as ações das empresas que formam o Ibovespa.

Por sua vez, o Ibovespa é o índice que representa a da média dos valores dos ativos mais negociados no mercado acionário brasileiro. Desse modo, ele é o benchmark para o desempenho das ações e fundos de ações na bolsa.

Vejamos agora algumas especificidades dos minicontratos de índices:

Cotação

A cotação desses contratos é dada em pontos. Ou seja, o mini-índice equivale ao contrato futuro do Ibovespa multiplicado pelo valor em reais de cada ponto. Nesse caso, cada ponto vale R$ 0,20.

Veja como são essas operações na prática:

Suponha que o investidor adquira um minicontrato de índice cotado a 100.000 pontos. Nessa situação, o valor do contrato é:

100.000 X R$ 0,20 = R$ 20.000

Logo depois, esse investidor vende o contrato, e a cotação atual é de 101.000 pontos. Assim, o valor da venda será:

101.000 x R$ 0,20 = R$ 20.200

Portanto, o resultado dessa operação será:

R$ 20.200 – R$ 20.000 = R$ 200

Aqui vale lembrar uma das características dos minicontratos: a necessidade de menos recursos do que os contratos cheios. Isso porque, no caso do exemplo acima, não é necessário ter o valor total do contrato, que é R$ 20.000. Em vez disso, é exigido apenas o depósito de uma margem de garantia, que funcionará como caução no caso de prejuízo.

Por isso, os minicontratos são uma excelente forma de se operar com alavancagem

Vencimento

Os minicontratos de índice vencem sempre na quarta-feira mais próxima do dia 15 do mês de liquidação, sempre em meses pares.

Minicontratos de dólar 

A sigla que representa os minicontratos de dólar é WDO. Um dos objetivos dessas operações é a proteção contra as oscilações da moeda. Nesse caso, esses contratos são interessantes para quem, por exemplo, tenha recebíveis ou dívidas futuras em dólar.

Além disso, o mini dólar também serve para especular sobre a variação do preço da moeda. Ou seja, com ele, o investidor pode ganhar com a oscilação do dólar.

Da mesma maneira que os minicontratos de índices, o mini dólar demanda menos dinheiro do que os contratos cheios.

Esses contratos também possuem as suas especificidades. Vejamos as principais:

Cotação

A cotação do mini dólar é em reais por US$ 1.000, sendo que a variação mínima é de R$ 0,50 por R$ 1.000. Cada minicontrato vale US$ 10 mil.

Veja como funcionam as negociações:

Nesse caso, vamos imaginar que o investidor tenha comprado um minicontrato de dólar, e a cotação da moeda foi de R$ 5,00/US$. Isso equivale a 5.000 pontos.

Assim, o valor total do contrato é:

US$10.000 X 5 = R$ 50.000

Passado algum tempo, o contrato se valorizou e passou a 5.100 pontos. Nesse momento, o investidor realizou a venda:

US$ 10.000 x 5,1 = R$ 51.000

Logo, o lucro da transação foi: R$ 50.000 – R$ 51.000 = R$ 1.000

Vencimento

Os minicontratos de dólar vencem no primeiro 1º dia útil do mês, e os vencimentos ocorrem todos os meses.

Nas negociações, os vencimentos dos minicontratos são identificados por letras, conforme segue:

Mês
Código
Janeiro
F
Fevereiro
G
Março
H
Abril
J
Maio
K
Junho
M
Julho
N
Agosto
Q
Setembro
U
Outubro
V
Novembro
X
Dezembro
Z

Fonte: B3

O que é preciso para operar minicontratos?

Por fim, vejamos alguns requisitos para operar essa modalidade:

Perfil de investidor arrojado

Antes de mais nada, é necessário que o investidor tenha um perfil arrojado. De forma geral, para operar derivativos é fundamental disposição para riscos, em virtude da volatilidade relacionada à modalidade.

Além disso, os minicontratos demandam conhecimentos técnicos específicos. Logo, são indicados para investidores mais experientes.

Margem de garantia

Como vimos, uma das vantagens dos minicontratos é o fato de não demandarem os valores dos contratos cheios. No entanto, é necessário depositar na corretora uma margem de garantia.

No mercado futuro ocorrem ajustes diários. Ou seja, todos os dias é calculado o lucro ou prejuízo da operação e, no final do dia, o valor é creditado ou debitado na conta do investidor. É aí que entra a importância da margem de garantia, que funciona como uma caução para dar suporte a eventuais prejuízos causados por esses ajustes.

Dar a ordem para começar a operar!

Por fim, com a margem de garantia depositada, basta enviar uma ordem pela plataforma de negociação da corretora. Para encerrar uma negociação, o procedimento também é por meio de ordem enviada à corretora.

O que mais você gostaria de saber sobre minicontratos, ou sobre outros tipos de derivativos? Deixe aqui os seus comentários!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo