Investimentos em renda variável: como escolher a melhor opção?

Investir em renda variável é uma ótima alternativa para aumentar os ganhos em momentos de juros baixos. E, ao contrário do que muitos pensam, essa modalidade não é só para os perfis mais arrojados.

A seguir, veja 3 opções de renda variável que selecionamos para você, e entenda como investir nesses ativos.

Ações

Quando se fala em renda variável, as ações são um dos investimentos mais lembrados.

Uma de suas vantagens é a autonomia na hora da aplicação. Pois, além de escolher os papéis, o investidor também pode negociá-los no momento que desejar.

Além disso, ao utilizar sozinho o seu home broker, ele elimina custos como taxas de administração, comuns nos fundos.

No entanto, para investir direto em ações, é interessante já ter já alguma experiência no mercado de capitais. Isso porque, para selecionar bons papéis, o investidor precisará de conhecimentos técnicos sobre economia e contabilidade.

Por fim, para acompanhar uma carteira de ações é preciso dispor de tempo. Caso contrário, as oscilações do mercado poderão causar surpresas desagradáveis.

Fundos Imobiliários (FIIs)

Por meio desses fundos, o investidor consegue participar do mercado imobiliário sem precisar adquirir um imóvel. 

Isso porque os FIIs investem em imóveis e, também, em direitos creditórios relacionados a esses ativos, como os CRIs (certificados de recebíveis imobiliários).

Basicamente, esse investimento funciona assim: para compor os ativos do fundo, o gestor escolhe imóveis ou CRIs, que podem ser de diferentes segmentos. Nesse sentido, a remuneração do cotista virá dos aluguéis desses imóveis (no caso dos prédios) ou nos recebimentos dos financiamentos (nos CRIs).

Por isso, além da qualidade dos imóveis e dos CRIs, há outros pontos importantes para escolher um bom FII. Um deles é a localização dos empreendimentos, pois isso impactará diretamente na sua ocupação e valorização.

Outro fator é a qualidade de crédito dos recebíveis. Isso porque, caso existam atrasos ou inadimplência, a rentabilidade do fundo reduzirá, e as suas cotas perderão valor. 

Fundos Multimercados

Como o próprio nome diz, os fundos multimercados mesclam várias categorias de aplicações. Nesse sentido, câmbio, ações, derivativos e, até mesmo, renda fixa, podem fazer parte da sua composição.

Outra importante característica desses fundos é a total liberdade do gestor na escolha dos ativos. Ou seja, não há regras quanto à formação do patrimônio do fundo. Logo, o gestor pode usar isso a seu favor e escolher ativos com grande potencial de retorno.

Por causa dessa diversidade, esses fundos, normalmente oferecem maior risco. No entanto, com uma boa gestão, os rendimentos podem ser bem superiores a outras modalidades.

E como investir em renda variável?

A primeira coisa a fazer é definir o quanto se quer direcionar para essa modalidade.

Como já dissemos, até mesmo os perfis mais conservadores podem investir em renda variável. Isso porque o que define o risco da carteira não são os tipos de aplicações, mas sim o quanto o investidor coloca de dinheiro cada uma delas.

Logo, ao investir em renda variável, o investidor diversificará o seu patrimônio e aumentará as suas chances de ganhos. 

Em nosso blog, você pode encontrar várias opções de investimentos em renda variável. Certamente, haverá alguma adequada para você!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo