ETFs ou ações? Qual é o melhor?

Muito se pergunta sobre qual é o melhor investimento: ETFs ou ações?

Pois bem, existem critérios muito importantes a serem avaliados na hora dessa escolha.

É importante saber qual é o funcionamento desses ativos.

Por isso, esse artigo separa os seguintes tópicos:

  • O que são ETFs e Ações?
  • 3 diferenças
  • Afinal, qual é melhor?

O que são ETFs e ações?

Um ETF é um fundo de investimento atrelado a um índice de referência.

Significa que o gestor ajusta a composição do ETF de modo com que ele fique o mais parecido possível com o índice.

Suponhamos que um ETF esteja atrelado ao índice Ibovespa, ele deve ser composto por várias ações que estão listadas no índice.

Já as ações representam uma fração do capital social de uma empresa.

No momento em que o investidor compra uma ação, ele está se tornando sócio da empresa.

Passa a correr os mesmos riscos do negócio, assim como participa dos lucros e prejuízos.

3 diferenças entre ETFs e ações

1. Gestão

As ações possuem uma gestão ativa, obedecendo a critérios próprios e independentes. 

Já os ETFs possuem uma gestão passiva, seguindo o rendimento do índice no qual está atrelado. Ou seja, se o índice sobe, o ETF sobe também.

2. Liberdade

Ao investir em ações, o investidor tem uma liberdade maior para gerir e organizar ou mudar sempre que quiser a sua carteira.

Porém, ao investir em ETFs, o investidor passa a depender da corretora e não possui autoridade e nem capacidade para operar sua carteira. Tudo depende do gestor.

3. Rendimentos

Em se tratando de rendimento, o que fica claro é risco existente.

Quando falamos de ações, as oportunidades de rendimento são bem maiores, porque elas não dependem de um índice, mas apenas de seu próprio resultado.

Porém, elas apresentam um risco considerável, pois quando elas se desvalorizam, o prejuízo é maior também.

Já os ETFs, apresentam uma segurança maior, devido ao fato de serem uma carteira bastante diversificada, tendo seu desempenho muito semelhante ao desempenho do índice.

Mas isso está atrelado a oportunidades de rendimento menores, graças a uma grande gama de ativos presentes em sua aplicação, gerando uma alta diversificação.

Afinal de contas, qual é melhor?

Apesar disso ser um assunto muitas vezes polêmico, por depender de opiniões diferentes, as ações acabam por ter mais vantagens se comparadas com ETFs.

Os dois principais fatores que colaboram para isso são o rendimento e a autonomia do investidor.

As ações possuem maior rentabilidade, mesmo atreladas a um risco maior, escolher bons ativos, que conseguem ter um rendimento melhor do que o índice em que estão listadas, não é uma tarefa tão difícil assim.

É aí que entra a autonomia do investidor, que possui liberdade para montar sua própria carteira de ações, sem se preocupar com terceiros e dependendo apenas do desempenho próprio.

Sem falar na possibilidade de poder operar e organizar sua carteira quando bem entender.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo