Stock options: o que é e como funciona?

Stock options é um tipo de remuneração que é concedida por meio de ações de uma empresa. Nesta modalidade, os funcionários recebem parte dos seus salários em formas de ativos da instituição que trabalham.

O principal objetivo dessa iniciativa é estimular os profissionais a atuarem de forma direta no desenvolvimento da companhia. Com o crescimento, o valor das ações tende a subir e os papéis adquiridos pelo pessoal também.

Com isso, os colaboradores se sentem motivados a trazer resultados reais para as empresas. Nessa relação onde todos ganham, cria-se uma filosofia da prosperidade, onde as metas das instituições se convergem com a dos seus trabalhadores.

Geralmente, as stock options ficavam reservadas para funcionários do alto escalão. No entanto, algumas empresas já começaram a mudar essa filosofia e a oferecer esses pacotes de remuneração a todos os seus colaboradores.

No Brasil, esse tipo de conduta ainda é pouco presente nas empresas. Esse movimento fica restrito a grandes companhias e multinacionais. Em muitos casos, como elas não têm capital aberto aqui, oferecem ativos em seus países de origem.

Por ser uma prática relativamente nova, ainda não existe nenhuma legislação específica que cuide desse tipo de remuneração. A discussão jurídica em torno do assunto é recente e engloba as vertentes salariais e de investimento.

Como funcionam as stock options?

Geralmente, as stock options funcionam da seguinte maneira: funcionários recebem o direito de compra de um certo pacote de ações de uma empresa a um preço pré-determinado (normalmente por um valor menor do que o do mercado).

A concessão é feita por meio de contratos e os prazos e número de ativos podem variar. Ainda assim, existe um prazo para que os funcionários possam ter esses papéis. Após esse período, eles devem efetuar a venda dos papéis.

Por meio dessa iniciativa, parte do salário do trabalhador é pago por meio dessa compra de ações da empresa. Ou seja, sua remuneração vai depender dos resultados da instituição em que trabalha.

Ou seja, é uma oportunidade de ganhar um pouco mais. No entanto, esse montante é sempre pensado no longo prazo, pois o trabalhador não poderá vender as ações antes do período de carência.

Por exemplo, um executivo ganha R$ 5 mil em dinheiro, mas durante um programa de stock options, escolhe receber R$ 4 mil e o restante em ações que deverão ser vendidas após dois anos. Se depois desse período, aqueles ativos que valiam R$ 1 mil, valessem R$ 1,5 mil, o trabalhador terá sido remunerado por um valor maior do que seria.

A intenção das stock options é promover o comprometimento dos colaboradores em respeito aos desempenhos institucionais. Para isso, os pacotes de ações possuem um tempo de carência de negociação.

Esses incentivos são muito válidos em economias que são muito estáveis, onde os potenciais de crescimento podem não ser tão expressivos. Com esses mecanismos, os colaboradores se sentem mais engajados a trabalhar para melhorar os resultados.

Ainda assim, é importante destacar que existe um certo risco nesse tipo de operação. Isso porque os valores das ações não são fixos e podem variar de forma negativa. Ou seja, o funcionário pode perder dinheiro no final do prazo.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo