Moat: o que é e como funciona?

Quem criou o conceito de Moat foi ninguém mais ninguém menos que o sábio de Omaha.

Quem?”

Warren Buffet, Yubber! Sim, ele é o sábio de Omaha.

Mas o que Moat quer dizer? Nós vamos ver ao longo do artigo, então acompanhe até o final, até porque, o que vem de Warren Buffet, não podemos fazer pouco caso hehehe

O que é moat?

Primeiro, olha só essa frase do Warren Buffet:

“Eu gosto de um negócio valioso como um castelo com um fosso ao redor dele. O duque encarregado do castelo precisa ser muito honesto e trabalhador, e o fosso pode ter crocodilos e tubarões que mantenham os competidores longe”.

Genial, não acha? Clique AQUI para dar uma olhada no documento que a Morningstar desenvolveu sobre o assunto. Morningstar é uma empresa americana de análise, e desenvolveu uma metodologia de análise através do moat.

Inclusive, há um livro também sobre o assunto (em inglês): Why Moats Matter

Bom, talvez você já tenha entendido minimamente a essência de moat com a frase de Warren Buffet, mas vamos entender melhor.

Moat significa fosso e, basicamente, representa a vantagem competitiva a longo prazo que uma determinada empresa tem, quando comparada a outras do mesmo setor de atuação.

Então, partindo dessa ideia, quanto maior o fosso econômico, maior e mais sustentável um negócio consegue se tornar no longo prazo.

Importância do moat para uma empresa

Se uma empresa apresenta vantagem competitiva, significa que a probabilidade de sucesso é muito maior, pois a barreira que ela cria frente a outras empresas é grande.

Se essa probabilidade de sucesso se cumprir, mais lucratividade a empresa terá, portanto haverá uma série de ações que podem entregar um valor muito alto não só para a empresa, mas também para o investidor.

E por que vantagens também para o investidor? Porque com todas as vantagens competitivas e os reflexos positivos que trazem, os ativos são valorizados, podendo trazer bons retornos, principalmente no longo prazo.

Características de um moat

Algumas características comuns e que podemos citar, são:

  • Escalabilidade: compra de produtos por preços mais baixos, devido à escala da demanda em comparação aos outros competidores;
  • Patente: muito comum no setor farmacêutico;
  • Custo de mudança: às vezes, trocar de produto ou serviço é tão complicado que é mais vantajoso permanecer com o mesmo. Muitas empresas utilizam, inclusive, estratégias de lock-in para isso;
  • Efeito rede: quando várias pessoas que usam um determinado serviço fazem com que outras pessoas passem a usar também, de forma natural;
  • Vantagens de custo: empresas que conseguem ter custos operacionais baixos;
  • Ativos intangíveis: podemos citar a marca. Marcas quando são valiosas fazem toda a diferença na atração de clientes, além de possibilitarem a empresa de impor preços mais atrativos para ela.

Para exemplificar, vamos pegar a empresa varejista Amazon. O volume de vendas da empresa é altíssimo. Qual característica de moat poderíamos relacionar aqui? O de escala.

Com um volume de vendas muito alto, ela pressiona os seus fornecedores para baixarem os preços dos produtos. Com isso, o produto final sai bem mais barato para os clientes.

Pode reparar que uma série de produtos da Amazon possuem preços bem mais baixos que os de outras empresas.

Não é difícil encontrarmos casos de moat no mundo. Agora que você entendeu os conceitos, bem como algumas características, comece a olhar para as empresas com um olhar mais crítico e verá que existem inúmeras delas.


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo