EV (Valor da Firma): o que é e como funciona?

O EV, também conhecido como valor da firma, é um importante indicador da análise fundamentalista de ações. Se você já investe, ou quer começar a investir no mercado de capitais, entenda neste artigo o que é e como funciona esse índice.

O que é o EV?

O enterprise value demonstra quanto custaria para comprar a empresa, considerando que devam ser adquiridos, além dos seus ativos, todas as suas dívidas. Isso porque quem adquire uma empresa passa a deter também as suas obrigações.

Cálculo do enterprise value

O EV considera o valor de mercado da empresa acrescido do seu endividamento menos o caixa líquido. Sua fórmula é a seguinte:

EV = valor de mercado da empresa + dívida líquida – caixa total

Por sua vez, o valor de mercado da empresa é obtido ao multiplicarmos o preço de cada ação pelo número total de ações em circulação.

Valor de mercado = preço da ação x n° de ações em circulação.

Como interpretar o EV

O valor da firma confere uma visão mais realista sobre quanto efetivamente vale a empresa. Isso porque somente a avaliação da companhia não nos permite saber se ela é cara ou barata.

Para entender melhor a aplicabilidade do EV, vejamos dois exemplos:

A empresa “A” foi avaliada em R$ 10 bilhões. Porém a sua dívida é de R$ 8 bilhões, e ela possui em caixa R$ 2 bilhões.

A empresa “B” foi avaliada em R$ 15 bilhões. O seu endividamento total é de R$ 2 bilhões, e o seu caixa, R$ 5 bilhões.

Pelo valor de avaliação, a empresa “A” (R$ 10 bilhões) é mais barata do que a “B” (R$ 15 bilhões). No entanto, ao calcularmos o EV, teremos o seguinte:

EV “A” = 10 bilhões + 8 bilhões (dívidas) - 2 bilhões (caixa) = 16 bilhões

EV “B” = 15 bilhões + 2 bilhões (dívidas) – 5 bilhões (caixa) = 12 bilhões.

Ou seja, apesar de “B” ter um valor de mercado maior, gastaria-se mais para comprar a empresa “A”, que tem mais dívidas e menos recursos em caixa.

Deu para entender a importância do cálculo do EV?

Quais as limitações da utilização do valor da firma?

A primeira limitação do indicador é que ele não contempla o potencial de crescimento da empresa, e isso é fundamental para a obtenção do preço justo das ações. Por isso, é normal ocorrerem distorções entre o EV e o preço das ações praticado no mercado.

Outro fator a considerar é que só é possível utilizar o valor da firma para as companhias de capital aberto, pois para chegar a ele precisa-se saber a quantidade de ações em circulação. Por isso, assim como qualquer outro indicador financeiro, o EV não deve ser utilizado sozinho em uma análise, e sim associado a outros indicadores financeiros.

O EV dá origem a outro importante indicador financeiro: o EV/EBITDA. Saiba mais neste artigo.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo