3 maneiras de investir em câmbio

Yubber, tenho certeza (ou pelo menos quase certeza) que quando você ouve a frase “investir em câmbio”, a primeira coisa que vem à cabeça é a compra de moeda física.

De fato, essa é uma das maneiras, mas não devemos limitar as formas pelas quais podemos investir.

Se você quer saber mais sobre outras formas de investimento em câmbio, fique com a gente no artigo.

O que é o investimento em câmbio?

Investimento em câmbio é quando você investe os seus recursos em ativos que tenham como vínculo moedas estrangeiras.

Dessa forma, o investidor consegue explorar oportunidades no mercado em caso de desvalorização do real frente à moeda que interessa a ele.

Muitos investidores buscam diversificar seus investimentos em outras moedas com o intuito de proteger e diversificar a carteira.

Em momentos de crise, o Brasil tende a sofrer mais que alguns outros países, visto que ele é um país emergente, portanto, alocar recursos em moedas estrangeiras pode fazer com que haja maior equilíbrio.

As moedas mais consideradas na hora de investir em câmbio são o dólar, euro e libra, pois elas têm bastante força.

Inclusive, esse é o sentido: investir em moedas fortes!

Falaremos hoje sobre 3 maneiras de se investir em câmbio.

1. Papel moeda

Essa é a mais famosa. Aqui o investimento é na moeda física, e para comprá-la, é preciso ir à uma casa de câmbio ou até mesmo ao seu banco.

Mas, não é uma forma eficiente de se expor, isso porque, na minha opinião, é uma das maneiras mais arriscadas e custosas, não só no âmbito econômico e financeiro.

Veja bem, Yubber, com moeda em espécie, você corre o risco de furto, perda e degradação do papel. E quando falamos em custos, você terá de arcar com IOF (Imposto sobre Operação Financeira), spread e outras taxas adicionais.

Comprar a moeda física é interessante em casos específicos, como por exemplo uma viagem. Dessa forma, você pode ir comprando aos poucos e ir fazendo um preço médio até chegar a data da sua viagem, já que a oscilação é constante.

2. Fundo Cambial

O fundo cambial é um fundo de investimento aberto, que investe em ativos que possam buscar acompanhar a variação de preços de moedas estrangeiras.

Ele precisa ter, obrigatoriamente, 80% do seu patrimônio líquido alocado nesses ativos. Ou seja, o parâmetro de rentabilidade dele são as moedas estrangeiras.

Para investir em um fundo cambial, você deve ter conta em alguma instituição que faça a intermediação da operação, como por exemplo alguma corretora ou banco.

3. Contratos futuros

Nesse caso, o investimento é feito através de contratos futuros, que são negociados na bolsa de valores. Basicamente, o contrato futuro é um instrumento no qual você negocia o preço de um ativo financeiro em uma data futura.

Imagine, por exemplo, uma empresa exportadora. O câmbio vai influenciar fortemente sua receita, então, uma das formas da empresa se proteger contra a variação cambial, é por meio de contratos futuros, pois o preço será travado.

Conclusão

Yubber, essas são algumas maneiras de se expor ao câmbio de uma forma mais direta.

Mas, nós temos outros artigos com uma abordagem mais ampla, mostrando, portanto, formas diretas e indiretas de se expor às moedas. Vou deixar eles aqui embaixo.

Então, se você pretende diversificar a carteira, bem como protegê-la, investir em ativos atrelados ao câmbio pode fazer muito sentido.

Mas aqui vai um alerta: nunca aloque os seus recursos em lugares que você não tem conhecimento algum. Pesquise antes e, além do mais, analise se ele faz sentido para o seu perfil de investidor

E aí, Yubber, gostou das opções?


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo