Green Bonds: o que são e como investir?

Cada vez mais, as empresas estão preocupadas com o desenvolvimento sustentável da economia. Esse comportamento é acompanhado pelos investidores, que têm preferido negócios alinhados com boas práticas sociais e ambientais.

Os Green Bonds são um exemplo dessa nova tendência no mundo dos investimentos. Vamos conhecer melhor esses títulos? Então, continue acompanhando a leitura desse artigo!

O que são Green Bonds?

Os Green Bonds – ou títulos verdes – são títulos de renda fixa que investem em projetos sustentáveis de desenvolvimento. A finalidade desses projetos é mitigar os efeitos causados pelas mudanças climáticas no planeta.

O objetivo é claro e bem definido. Os recursos captados por esses títulos só podem ser utilizados pelo seu emissor, e obrigatoriamente em projetos que tenham a ver com questões de sustentabilidade.

Alguns exemplos de setores que já utilizam os Green Bonds são os de energias renováveis, projetos florestais, gestão de resíduos, entre outros.

Recentemente, segmentos relativamente novos, como edificações sustentáveis e sistemas de aquecimento, também passaram a utilizar esses recursos.

Quando surgiram esses títulos?

As primeiras emissões de Green Bonds ocorreram em 2007 e 2008, e foram feitas pelo Banco Europeu de Investimento e pelo Banco Mundial.

No entanto, no Brasil a modalidade foi normatizada somente em 2016. Nesse ano a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) publicou um guia para as primeiras emissões dos títulos verdes.

No Brasil, os Green Bonds ainda não são tão utilizados. Porém, ano a ano, cresce a movimentação desses recursos no país. Segundo acompanhamento da Climate Bonds Iniciative (CBI), o mercado brasileiro movimentou US$ 1,2 bilhão desses títulos em 2019, quase seis vezes mais do que em 2018 (US$ 209 milhões).

Como investir em Green Bonds?

Para emitir Green Bonds, a primeira coisa que a empresa deve fazer é elaborar o projeto de captação de recursos e enviá-lo a Febraban e ao CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável). Se aprovado pelas duas entidades, os investidores já podem adquirir os títulos no mercado.

Quanto à negociação, esses títulos podem assumir diversas formas de renda fixa. No Brasil, alguns dos investimentos que podem ser enquadrados como Green Bonds são:

  • Debêntures;
  • Debêntures incentivadas;
  • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs)
  • Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs)
  • Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDCs)
  • Letras Financeiras (LFs)

Quais as vantagens de investir em Green Bonds?

Ao adquirir um Green Bond, o investidor tem a certeza de que seu dinheiro irá, de fato, custear projetos sustentáveis. Isso porque o processo é acompanhado por uma consultoria que atestará que os recursos foram investidos nesses projetos.

Como vimos, atualmente a sustentabilidade é uma preocupação tanto das empresas quanto de investidores em todo o mundo. Nesse sentido, cada vez mais serão desenvolvidas tecnologias geradoras de energia limpa. Essas tecnologias, além de aumentarem o valor de mercado das empresas, proporcionam economia de insumos, o que reduz os custos de produção e aumenta a rentabilidade.

Por fim, a exigência de certificações de controle de poluentes e de outras formas de preservação do ambiente é cada vez maior. Logo, as empresas que cumprirem com esses requisitos também tendem à valorização.

Nesse artigo explicamos o que são os investimentos ESG, também ligados à sustentabilidade. Confira!


Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo