6 dicas para investir para a aposentadoria

A tão sonhada aposentadoria pode representar um grande objetivo para muitos jovens. Para isso, é possível planejar um futuro mais independente da previdência pública, que a cada reforma aprovada só piora as condições do contribuinte.

Para isso, comece a investir desde já, pois quão logo você começar, mais cedo atingirá suas metas. Além desse conselho, listamos outras seis dicas para você montar sua carteira de aposentadoria. 

1. Antes de tudo, faça seu planejamento financeiro

Essa é sempre a primeira dica para quem quer começar a investir. O planejamento financeiro engloba muitos conceitos que vão definir os rumos das suas operações.

Além dos objetivos e metas, é fundamental conhecer qual é o seu perfil como investidor (conservador, moderado ou arrojado).

Depois de todos esses parâmetros definidos, é possível construir um planejamento adequado para sua meta final.

Existem inúmeras possibilidades para investir e somente com esses fundamentos estabelecidos você conseguirá tomar uma decisão mais correta.

2. Gestão do seu patrimônio deve ser ativa

Por mais que seus investimentos para aposentadoria sejam pensados a longo prazo, é importante ter uma gestão financeira sobre eles. Mesmo que existam ativos mais seguros, todos estão sujeitos às volatilidades do mercado - seja em maior ou menor grau.

É necessário cuidar para que não seja surpreendido com perdas no final do período. Uma gestão consciente e periódica pode maximizar os ganhos e diminuir as perdas nos tempos de crise.

3. Faça aportes mensais

Os aportes mensais devem fazer parte do seu planejamento financeiro e eles são fundamentais para que você atinja seus objetivos de maneira mais rápida e segura. A regularidade nos investimentos possibilita uma maior diversificação e aproveitamento de oportunidades.

Mais importante que o valor, é a constância nas aplicações. E existem ativos com valores mínimos muito baixos para começar a investir. Ou seja, não é necessário juntar muito dinheiro para fazer investimentos.

4. Diversifique sua carteira

A diversificação da carteira é algo fundamental para aumentar a participação em diferentes setores econômicos. Com isso, o investidor não fica tão exposto a possíveis crises de um determinado mercado.

Além disso, a carteira deve ser dividida entre investimentos de renda fixa e variável - respeitando o perfil de investidor. Em se tratando de aposentadoria, não é recomendável a alocação de mais de 50% dos ativos em renda variável.

5. Fuja da poupança

Há muito tempo a tradicional caderneta de poupança não é o investimento mais rentável. Nas regras atuais, com Selic abaixo de 8,5%a.a., os rendimentos não passam de 70% da taxa básica de juros.

Ou seja, os ganhos não superam mais os índices de inflação. Ainda que seja um tipo de investimento muito fácil e acessível, existem dezenas de outras alternativas que trazem resultados muito mais expressivos do que a poupança.

6. Conheça as taxas e impostos

São raros os tipos de investimento que são isentos de taxas e impostos. Por isso, é recomendável conhecer quais são as tarifas cobradas pelos diferentes tipos de ativos disponíveis.

A grande dica aqui é comparar antes de comprar. Existem muitas ferramentas para auxiliar nessa contabilidade. No nosso site no Yubb, existe uma calculadora de proventos que pode auxiliar na sua busca.

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo