Dollar-cost averaging: o que é e como usar?

Para que alcance os melhores resultados, o ideal é que o investidor tenha uma estratégia bem definida para a sua carteira. Isso vale para todos os tipos de investimentos, sejam eles em renda fixa, variável e, até mesmo, no mundo dos criptoativos.

Uma das estratégias utilizadas principalmente por investidores buy and hold é o dolllar-cost averaging (ou DCA), também chamada de estratégia do preço médio, que consiste em aportes regulares na carteira. A seguir, saiba como funciona o DCA e entenda se essa estratégia é realmente eficiente.

O que é dollar-cost averaging?

Basicamente, no DCA são feitas aplicações periódicas sem levar em consideração outros fatores, como o preço, por exemplo. Ou seja, o investidor não espera somente os momentos de baixa do mercado para realizar todas as compras. Em vez disso, ele divide o seu dinheiro para fazer aquisições semanais ou mensais, e aproveita os momentos de preços melhores para fazer o maior volume dessas compras.

Em suma, para o DCA, mais importante do que comprar na baixa é distribuir as compras em momentos distintos.

E qual o objetivo da estratégia do preço médio?

Diferentemente do market timing, prática na qual o investidor fica atento aos preços para comprar na alta e vender na baixa, no DCA a oscilação dos preços não influencia as decisões de compra.

Isso porque, para o preço médio, o importante é diluir o dinheiro aplicado em vários aportes ao longo do tempo. O objetivo é atenuar a volatilidade da carteira, principalmente no longo prazo.

Em outras palavras, para o DCA, quando o preço do ativo sobe, está tudo bem, pois esse é o objetivo de todo o investidor. Porém, quando o ativo se desvaloriza, o mesmo aporte permite comprar um número maior de títulos, certo?

Por isso, o DCA é indicado para investidores passivos, ou seja, aqueles que preferem acompanhar o movimento do mercado a apostarem na alta ou na baixa dos ativos. Mesmo que alguns investimentos desvalorizem em determinados momentos, esses investidores acreditam na retomada do mercado no longo prazo, daí a lógica de distribuir as compras ao longo do tempo.

Afinal, vale a pena utilizar o dollar-cost averaging?

Pense no seguinte: você tem R$ 50 mil para investir em algum ativo. Ao adotar o DCA, você não gastará todo esse dinheiro de uma vez, mas sim distribuirá ele em mais de um aporte (ou vários) para comprar o ativo.

Porém, ao final de um ano, você viu que o ativo se valorizou bastante. Isso lhe faz pensar: não teria sido melhor investir tudo de uma vez, ao invés de dividir os valores em várias compras?

Isso pode acontecer, é claro. Mas também o oposto poderia ter ocorrido, ou seja, o ativo poderia ter tido picos de desvalorização. O exemplo é só para ilustrar que não há como prever se o DCA será a estratégia mais rentável para a sua carteira. No entanto, a técnica funciona bem quando o objetivo é manter aportes constantes, principalmente quando se está começando a formar o patrimônio. Logo, quem utiliza o DCA não tem como prioridade o maior rendimento possível, mas sim a disciplina nos aportes e o menor trabalho para acompanhar o mercado.

Agora, observe um gráfico feito para um estudo da Universidade de Yale, que compara os aportes frequentes com a estratégia buy the dip (compra na mínima):

(fonte: Warren)

Sabemos que, na renda variável, não há garantia de performance dos ativos. No entanto, no intervalo de tempo observado, percebe-se que o DCA teve mais sucesso do que as compras realizadas em momentos de baixa.

E como utilizar o DCA da melhor forma?

Como vimos, a estratégia do preço médio é muito interessante para quem está começando a investir, na fase inicial de formação do patrimônio. Isso porque, além de dispor de recursos mais limitados, esse investidor ainda não tem o conhecimento e a segurança suficientes para estratégias mais elaboradas, como o day trade ou o swing trade, por exemplo.

Porém, para que o DCA proporcione a segurança necessária para a sua carteira, é importante que você invista em empresas que conhece e nas quais acredita. Isso sempre com o olhar de longo prazo, ou seja, preparado para as oscilações que o mercado trará aos seus investimentos.

Para isso, é importante que você conheça algo sobre análise fundamentalista e indicadores financeiros. Como o próprio nome diz, essa análise é baseada nos fundamentos da empresa, e também avalia fatores macroeconômicos e microeconômicos que podem influenciar nos investimentos.

Outra forma de utilizar a estratégia DCA é fazer aportes periódicos em ativos como fundos de renda variável ou ETFs, por exemplo. Isso porque esses investimentos possuem gestores profissionais, que escolhem e acompanham os ativos que formam o seu patrimônio. Dessa maneira, você não terá o trabalho de acompanhar cada um desses ativos. Basta comprar cotas desses fundos para ter uma carteira diversificada.

Se você nos acompanha, sabe que, aqui no Yubb, já falamos diversas vezes sobre os ETFs. Pela praticidade e acessibilidade, esses são um dos nossos investimentos preferidos!

Se quiser saber mais sobre ETFs, dê uma olhada nos artigos abaixo:

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo