Stock picking: o que é e como fazer

Se você investe no mercado acionário e deseja melhorar a rentabilidade de seus ativos, precisa conhecer a estratégia stock picking.

Inclusive, nomes famosos do mercado, entre eles o megainvestidor Warren Buffett, são adeptos dessa estratégia, e já rentabilizaram muito o seu patrimônio ao adotá-la. A seguir, entenda o que é e como colocar em prática o stock picking!

O que é stock picking?

Basicamente, a estratégia stock picking visa selecionar ações que tenham um bom potencial de valorização no futuro. Nessa técnica, o investidor avalia a relação risco e retorno dos títulos e as condições de mercado para escolher os ativos do portfólio.

Uma vez escolhidos os ativos, o investidor monitora constantemente o seu desempenho, ao mesmo tempo que fica atento à performance de outros títulos no mercado. Caso julgue interessante, faz a rotação da carteira periodicamente. Ou seja, vende os títulos que se valorizaram conforme as expectativas e adquire outros de acordo com as melhores oportunidades.

Por isso, a estratégia stock picking é uma forma de gestão ativa da carteira. Em outras palavras, o objetivo é superar o rendimento médio do mercado acionário, e o investidor busca conseguir isso comprando bons títulos na baixa e vendendo na alta.

Como fazer stock picking

Para alcançar bons resultados com essa técnica, é preciso encontrar ações de boas empresas que tenham condições de se valorizar acima da média de mercado. Isso envolve duas premissas: empresas com sólidos fundamentos econômicos e que estejam com seus títulos descontados (com preços abaixo do que realmente valem).

A seguir, veja como é possível analisar as empresas com base nessas premissas.

Análise dos fundamentos da empresa

Utilizando alguns indicadores financeiros da análise fundamentalista, é possível identificar se uma empresa é ou não uma boa oportunidade de investimento. Alguns dos indicadores mais utilizados são os seguintes:

Preço sobre Lucro (P/L)

O P/L demonstra a relação entre o preço atual da ação no mercado e o seu lucro nos últimos 12 meses. A sua fórmula é a seguinte:

P/L = Preço atual da ação / Lucro por ação nos últimos 12 meses 

Esse indicador mostra ao investidor quantos anos ele leva para recuperar o valor investido somente com o recebimento de lucros da empresa. Teoricamente, quanto mais alto for o P/L, mais o mercado estará disposto a pagar pelos lucros da empresa.

Preço sobre Valor Patrimonial (P/VPA)

O P/VPA mostra quanto o mercado está disposto a pagar pelo patrimônio líquido da empresa. O indicador é calculado da seguinte forma:

P/VPA = Preço atual da ação / Patrimônio líquido por ação nos últimos 12 meses 

Já VPA representa o patrimônio líquido da empresa dividido pelo número de suas ações, ou seja:

VPA = Patrimônio Líquido / n° de ações.

No link abaixo, entenda o que é Patrimônio Líquido de uma empresa.

Em tese, um P/VPA alto indica que as ações estão sendo negociadas acima do valor patrimonial. Nesse caso, pode ser que o mercado esteja disposto a pagar mais para participar do PL da empresa. Ou pode ser também que a ação esteja supervalorizada, ou que o PL seja baixo. Já um P/VPA baixo demonstra que a ação está descontada. Dependendo do motivo, isso pode ser um bom indicativo para a compra do título.

EBITDA

A sigla vem do inglês, e significa lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. Ou seja, o EBITDA serve para mostrar o quanto a atividade operacional gerou de caixa para a empresa.

Para calcular o EBITDA, é preciso antes encontrar o Lucro Operacional, da seguinte forma:

Lucro Operacional = Lucro Bruto – Despesas Operacionais + Receitas Operacionais.

Essas informações você encontra na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) da empresa. No link abaixo, saiba mais sobre a DRE.

Dívida Líquida / EBITDA

Esse indicador mostra a proporção entre a dívida e a geração de caixa operacional da empresa. Ou seja, ele evidencia quanto tempo a empresa levaria para pagar toda a sua dívida somente com a geração de caixa da própria operação.

Análise do custo de oportunidade

Como vimos, para o stock picking, não basta a companhia ter fundamentos sólidos e apresentar bons indicedores financeiros. Para o investimento valer a pena, os seus títulos precisam estar em um patamar de preços interessante para o investidor.

Mas como saber se uma ação está cara ou barata? Uma das técnicas mais utilizadas para isso é o valuation. Basicamente, essa técnica tem o objetivo de relacionar a ação com variáveis que possam exercer influência sobre ela. Dessa forma, consegue determinar o quanto o título poderá trazer de retorno para o investidor.

Existem diferentes formas de se fazer o valuation. A seguir, confira algumas das mais utilizadas:

Valor patrimonial

Essa forma de valuation é a mais fácil e direta, pois aqui a empresa é avaliada somente pelo valor do seu patrimônio.

Para determinar o valor patrimonial, soma-se o ativo não circulante (imóveis, máquinas, etc) e depois subtrai-se desse total todos os passivos (fornecedores, salários, e outras contas a pagar). Dessa forma, encontra-se o valor patrimonial da companhia.

Uma das falhas do valuation pelo valor patrimonial é que ele não considera os ativos intangíveis da empresa. Isso pode distorcer a análise se a companhia tiver marcas e patentes valiosas, por exemplo

Fluxo de caixa descontado

Já o fluxo de caixa descontado é uma maneira bem mais completas de avaliar a empresa. Com base em projeções de resultados, a técnica busca descobrir o valor da companhia no futuro.

Para fazer essas projeções, a metodologia do fluxo de caixa descontado considera três fatores, estimativa de fluxo de caixa, taxa de desconto (considerando o custo médio de capital da empresa e os riscos do investimento) e valor residual (o que os bens do ativo valem depois do término de sua vida útil).

Múltiplos de mercado

Essa forma de valuation considera diversos indicadores financeiros da análise fundamentalista, como os que vimos anteriormente. A análise pode ser feita considerando a evolução anual dos indicadores da própria empresa, ou comparando-os aos de outras companhias que atuam no mesmo setor e que têm portes semelhantes.

Essas foram as nossas considerações gerais sobre o que é o stock picking e como utilizar a técnica para selecionar as ações da carteira. Se você tem dúvidas, ou deseja saber mais a respeito, mande seus comentários. Aproveite e siga o nosso blog e canal no YouTube, para ficar sempre por dentro de conteúdos como esse!

Você também pode gostar desses artigos

library_booksTodos os artigosVoltar para o topo